A Casa de portas abertas: Open House Porto regressa nos dias 2 e 3 de julho

A 7.ª edição do certame propõe o tema “Casa” para explorar os 74 locais que se abrem à cidade e ao público em 2022. Mais de metade dos espaços dão-se a conhecer em estreia absoluta.

Terminal de Cruzeiros

Está quase, quase ao virar da esquina. Ou melhor, o Open House Porto está mesmo prestes a abrir “portas”. A edição pós-pandemia, a 7ª que tem por palco a cidade Invicta, tem por tema a “Casa” e regressa ao formato presencial nos 74 locais abertos ao público,  com uma forte presença de casas particulares e mais de metade dos espaços em estreia absoluta.

A mostra realiza-se nos dias 2 e 3 de julho e tem curadoria da arquiteta Graça Correia e do historiador Joel Cleto, que no manifesto do site oficial, nos elucidam sobre o mote escolhido para esta edição:

“Sendo a Arquitetura que nos fixa ao lugar, é também esta muitas vezes quem nos aponta uma direção que nos leva a outra parte. Por isso, em 2022, a Casa vai ser apresentada enquanto ideia da sua revisão, mas também como a esperança que nos leva a sair de casa e reencontrar cada cidade enquanto casa coletiva e, nesta, os lugares que sendo públicos e infraestruturais permitem que a cidade funcione enquanto (a nossa) Casa Aberta – uma verdadeira Open House seja na cidade da Maia, Matosinhos, Porto ou Vila Nova de Gaia”.

Por essa razão, entre os diversos lugares que integram este Open House Porto, os visitantes irão encontrar a Escola de Ballet do Porto, o Tribunal da Relação do Porto, o Cemitério do Prado do Repouso, o Velódromo Rainha D. Amélia do Museu Nacional Soares dos Reis, ou a a ESAP – Cooperativa de Ensino Árvore, ou ainda o Comando Territorial do Porto da GNR, que em tempos foi a Quinta dos Bispos, um dos conventos da cidade. Isto sem contar com jardins de origem e inspiração barroca, comuns ao Porto, como os da Casa da Prelada, à Maia, como os da Quinta dos Cónegos, e, em Matosinhos, o mais recente Corredor do Rio Leça.

E se falamos em Matosinhos, destaque-se também, no roteiro deste ano, a Casa da Arquitetura, o Terminal de Cruzeiros e Titan do Porto de Leixões, a Piscina das Marés, a antiga refinaria de Matosinhos, a Casa de Chá da Boa Nova e o Museu Vivo das Conservas Pinhais.

Em Vila Nova de Gaia, porque não espreitar o Convento Corpus Christi, a casa da Rua Clube dos Caçadores ou as capelas mortuárias de Oliveira do Douro, antes de rumar à Maia para explorar a Quinta dos Cónegos e o Mosteiro do Divino Salvador de Moreira, entre muitas outras propostas que aqui poderá visitar e descobrir.

O acesso às visitas é por ordem de chegada se for sem pré-marcação, mas algumas visitas exigem reserva prévia, sendo o acesso à maior parte feito sem pré-marcação por ordem de chegada. Também estão previstas visitas livres, acompanhadas por voluntários, e visitas comentadas por especialistas convidados. O roteiro é ainda acompanhado pelos Programas Caleidoscópio e Plus, que propõem um conjunto de atividades abertas e destinadas a todos os públicos. Consulte aqui o programa completo.

Recomendadas

Portugal-França: a Temporada Cruzada continua a agitar o mês de agosto

Ao oitavo mês, a Temporada Cruzada Portugal-França não dá tréguas a quem procura alimento para os sentidos, com propostas que vão da instalação sonora à subversão do privado. Quem disse que agosto é ‘silly’?

Livro: “Viagens de Mandeville”

A literatura de viagens medieval tinha os seus cânones. Um deles era a descrição de povos grotescos que viveriam do outro lado do mundo. Mandeville, ao narrar as “suas” viagens, não impôs qualquer travão à sua imaginação.

Andrea Bocelli dá dois concertos no Altice Arena em Lisboa em 2023

O tenor italiano sobe ao palco a 30 de junho e 1 de julho, fazendo-se o tenor acompanhar por uma orquestra e um coro.
Comentários