Premium“A sustentabilidade económica que as farmácias tinham perdeu-se”

Com eleições para novo bastonário à porta, Franklim Marques defende a maior valorização do “papel social e serviço público” que desempenham os farmacêuticos e mais recurso às consultas de acompanhamento fármaco-terapêutico.

A Ordem dos Farmacêuticos vai a votos no próximo dia 5 de fevereiro para eleger novo bastonário, com o ato eleitoral a opor o antigo presidente do Infarmed, Hélder Mota Filipe, ao presidente da Secção Regional do Norte da Ordem, Franklim Marques, que explicou ao JE a sua visão para a profissão no triénio 2022-2024. Segundo o também professor na Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, é necessário voltar a valorizar a carreira, especialmente dada a sua importância em zonas de baixa densidade e populações envelhecidas, sendo que o papel do farmacêutico poderá ser mais abrangente no acompanhamento dos doentes e das suas terapêuticas.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumPowerme: divulgar campanhas através de power banks

“A chegada da Powerme à área metropolitana do Porto e à região do Algarve é um passo importante que nos permite atingir, com Lisboa, uma audiência seis vezes superior”

PremiumTimor-Leste 20 anos depois

Volvidas duas décadas desde a independência, apesar dos progressos feitos na melhoria do nível de vida, os níveis de pobreza permanecem elevados. Quais são agora as prioridades, segundo Ramos-Horta, Ana Gomes e Helder da Costa.

PremiumNovo ‘managing partner’ da Sérvulo antevê “ambiente mais competitivo” na advocacia

Manuel Magalhães, sócio de Financeiro e ‘Governance’, sucede a Paulo Câmara em setembro. A nova comissão executiva da sociedade de advogados será anunciada daqui a dois meses.
Comentários