ADSE preocupada com pouca tracção dos regimes convencionados na Madeira e Açores

O presidente do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, João Proença, referiu que tem insistido junto do conselho para rectificar esta situação, adiantando que a ADSE está a proceder à definição de regras relativamente ao regime convencionado.

A pouca tracção dos regimes convencionados na Madeira e dos Açores levanta preocupação a João Proença, presidente do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE.

“O regime convencionado é mais vantajoso para os beneficiários”, referiu João Proença. O presidente do Conselho Geral diz que tem insistido junto do conselho para “rectificar as poucas convenções” que existem na Madeira e nos Açores durante uma audição parlamentar que decorre na Assembleia Legislativa da Madeira.

“A ADSE está num processo de definir regras relativamente à convenções”, anunciou. João Proença defendeu ainda uma espécie de processo extraordinário nas convenções, para as Regiões Autónomas.

O presidente do Conselho Geral insistiu em que existisse mais propaganda na Madeira de que a ADSE está aberta a convenção.

 

Relacionadas

Hospitais privados alertam para risco de acesso dos beneficiários da ADSE

Continua o impasse e a falta de diálogo da ADSE em relação aos prestadores privados. O acesso dos beneficiários à rede convencionada está em risco diz a Associação Portuguesa de Hospitalização Privada.

Guerra de preços reacende clima de tensão entre privados e ADSE

ADSE quer que os hospitais privados divulguem o valor pelo qual compraram as próteses que colocam nos pacientes, enquanto os privados consideram essa obrigação como ilegal.
Recomendadas

Madeira: Proteção Civil promove campanha “natal em segurança”

A Proteção Civil vai emitir, todas as sextas-feiras de dezembro, um vídeo promocional com a transmissão de recomendações preventivas de segurança alusivas às diversas atividades típicas desta época natalícia.

Presidente da Câmara do Funchal diz que Portugal está no caminho errado com nível de fiscalidade elevado

O autarca referiu que a alta fiscalidade tem levado o país a perder competitividade, salientando que a prova disso é que Portugal está cada vez mais na cauda da Europa.

Presidente da Câmara do Funchal defende regime de baixa fiscalidade para empresas e famílias

O autarca referiu que o município está a esgotar as soluções que permitem ao Funchal reduzir a carga fiscal ao mínimo.
Comentários