Startup de marketing digital quer contratar 30 pessoas para teletrabalho

A Alts Digital tem sede no Porto, mas não possui escritórios não tem intenção de alguma vez ter trabalho presencial. O objetivo da empresa é duplicar a equipa até ao final do ano e, para isso, dá um ‘voucher’ de 100 euros mensais para ser utilizado em espaços de ‘co-work’.

A empresa de marketing Alts Digital anunciou esta segunda-feira que vai reforçar a equipa com 30 pessoas, para ter pelo menos 60 colaboradores até ao final do ano. A startup, que não possui escritórios, pretende recrutar nas áreas de marketing Digital e conteúdo, para funções que vão desde a escrita à gestão de websites.

O regime de trabalho é 100% remoto, porque o teletrabalho é característica que faz parte do ADN da empresa desde o momento em que foi fundada, em 2018. “A Alts Digital nunca teve escritórios, nem planeia ter. A empresa promove o trabalho no melhor escritório possível: onde os colaboradores se sentirem bem, seja em casa ou no café à beira da praia. E no horário em que cada trabalhador preferir”, garante a empresa, em comunicado divulgado à imprensa.

Para atrair talento, a tecnológica especializada em marketing digital e SEO lançou recentemente um novo benefício extrassalarial que consiste num voucher de 100 euros mensais para ser utilizado em espaços de co-work nacionais ou internacionais. Ademais, a Alts Digital promove uma semana de team building presencia chamada “Workation” e disponibiliza aos trabalhadores mil euros para investirem na sua formação e desenvolvimento profissional.

“A empresa pretende reforçar a ideia de que trabalhar remotamente não tem de ser sinónimo de estar em casa e inspira as suas pessoas a usufruir totalmente da flexibilidade de trabalhar a partir de qualquer local, com os benefícios que isso tem para a saúde mental e para a interação com os colegas”, refere a Alts Digital, cujos serviços estão atualmente focados nas áreas de gaming, serviços financeiros e blockchain.

Recomendadas

SATA prevê saída de 150 trabalhadores até final de 2023 através de rescisões negociadas

Cerca de 100 trabalhadores já saíram da companhia aérea açoriana SATA desde que foi lançado o primeiro programa de rescisões, em 2020.

Empresas TVDE criaram mais de sete mil empregos em seis anos

Entre 2013, ano anterior ao lançamento da operação da Uber em Portugal, e 2019, o número de empresas no sector (plataformas de transportes de passageiros) cresceu 71%.

Há 45 anos foi vendida a primeira Coca-Cola em Portugal

Foi a 4 de julho de 1977, num café na Baixa de Lisboa. “Não só faz parte da história do país como contribui ativamente para a economia nacional. Por cada euro que é gasto em Coca-Cola, 81 cêntimos permanecem em Portugal”, diz Rui Serpa, diretor em Portugal da Coca-Cola Europacific Partners.
Comentários