Angola. MNE suspende admissão e promoção de funcionários

O Ministério das Relações Exteriores (Mirex) angolano anunciou, esta sexta-feira, a suspensão do processo de admissão, reajuste e promoção dos funcionários do departamento governamental nas diferentes carreiras.

Num comunicado, o Mirex revelou que a decisão foi tomada após o ministro da tutela, Téte António, reunir o conselho de quadros “para avaliar todas as reclamações relativas ao processo administrativo de enquadramento e atualização de carreiras”.

O ministério acrescentou na mesma nota que foi dada orientação “para o cumprimento das normas e procedimentos administrativos atinentes ao processo em causa” e que os órgãos internos devem apresentar os resultados “o mais breve possível”.

O Mirex reiterou ainda o compromisso de continuar a apoiar o ministro Téte António “e a direção da instituição e contribuir para o fortalecimento da organização interna deste departamento ministerial”.

O conselho de quadros integra diretores de várias áreas, bem como representantes da carreira diplomática, da carreira técnica, entre outros, sendo um órgão de consulta ao qual compete “assessorar o titular da pasta na tomada de decisões em matéria de gestão de pessoal”.

Em causa estará a promoção de quadros exteriores ao Mirex que causou mal-estar entre funcionários com mais tempo de serviço.

Recomendadas

Josep Borrell pressiona Israel sobre os palestinianos

O primeiro-ministro israelita Yair Lapid e o chefe de política externa da União desentenderam da reunião do Conselho da União Europeia-Israel, em Bruxelas. Pontos de vista diferentes sobre a Palestina e sobre o Irão ficaram bem evidentes.

Bulgária: eleições longe de resolverem crise política

Acusado de corrupção, o GERB voltou a ganhar as eleições e arrisca manter o país ingovernável. A única forma de ultrapassar o impasse seria um governo de coligação entre os dois maiores partidos, mas isso não parece estar no horizonte.

Indonésia. Polícia sob pressão pelo uso indiscriminado de gás lacrimogéneo

Os desacatos num estádio de futebol resultaram em 125 mortos, 17 dos quais crianças, de acordo com as autoridades. A atuação da polícia gerou o caos e vai contra as indicações da FIFA.
Comentários