Atenção, emigrantes: principal porta de acesso entre Portugal e França está cortada devido aos incêndios

O sudoeste francês continua a ser devastado pelas chamas, que obrigam a cortes nas autoestradas. O fogo já queimou quase sete mil hectares e obrigou a evacuar mais de 10 mil pessoas.

Um incêndio de grandes dimensões continua a deflagrar na região de Gironda, no sudoeste francês. Até à manhã desta quinta-feira, já havia queimado uma área de quase sete mil hectares e obrigou ao evacuamento de 10 mil pessoas. As chamas já chegaram à área que serve de passagem entre a fronteira espanhola e a francesa, tantas vezes atravessada pelos emigrantes portugueses a viver em França.

Pelo terceiro dia consecutivo, o incêndio continua a arrasar aquela região, numa altura em que são já quase 1.100 os bombeiros destacados para o combate às chamas. Na quarta-feira, o fogo obrigou a cortes nas autoestradas francesas AP-8 e A-63, o que gerou filas de trânsito com vários quilómetros de extensão.

A magnitude do incêndio já obrigou ao apoio internacional, com a Grécia e a Suécia a enviarem dois aviões cisterna cada, ao passo que Alemanha, Polónia, Áustria e Roménia enviaram bombeiros para ajudarem no combate às chamas, anunciou o presidente francês, Emmanuel Macron, esta manhã, através do Twitter.

O combate às chamas tem sido particularmente difícil, devido às altas temperaturas, de até 40 graus Celsius, que se fazem sentir na região, de acordo com a explicação dada pelas autoridades locais, durante a manhã desta quinta-feira.

Recomendadas

Guterres condena “veementemente” golpe de Estado no Burkina Faso

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou este sábado “veementemente”, num comunicado, “qualquer tentativa de tomada do poder pela força das armas” no Burkina Faso, um dia após um novo golpe de Estado no país, o segundo em oito meses.

Manifestantes denunciaram repressão violenta sobre ativistas no Irão

Milhares de manifestantes em várias universidades iranianas e em vários países protestaram este sábado contra a repressão sobre movimentos de protesto pela morte de Mahsa Amini, a jovem acusada de violar o código de indumentária da República Islâmica.

Bolsonaro agradece apoio de líderes europeus de extrema-direita, entre eles André Ventura

O presidente Jair Bolsonaro, que pretende ser reeleito no domingo, agradeceu este sábado as mensagens de apoio que recebeu de líderes da extrema-direita da Europa, como o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, ou o líder do Chega, André Ventura.
Comentários