Autor
Mário Malhão
mmalhao@jornaleconomico.pt
Artigos

Infografia | PS conquista dois mandatos do círculo da Europa e chega aos 120 deputados

O PS reforçou a segunda maioria absoluta da sua história, 17 anos depois de José Sócrates. As legislativas de 2022 ficam também marcadas pela ascensão do Chega e da IL a terceira e quarta forças políticas, à redução expressiva dos grupos parlamentares do PCP e do BE, e pela saída do CDS-PP e do PEV do Parlamento, depois da legislatura com maior diversidade de sempre.

Ministério da Presidência sai reforçado na nova orgânica. Finanças perdem peso

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou a orgânica do XXIII Governo constitucional, que terá 17 ministros e 38 secretários de Estado, uma redução face ao atual Governo, composto por 19 ministérios, com 50 secretarias de Estado.

Novo Governo de António Costa terá 17 ministros e 38 secretários de Estado (com áudio)

Trata-se de uma redução de 20%, quando comparado com a atual legislatura, representando menos dois ministros e menos 12 secretários de Estado.

Infografia | PS conquista segunda maioria absoluta, 17 anos depois de Sócrates

O PS conquistou a sua segunda maioria absoluta, 17 anos depois de José Sócrates. As eleições ficaram marcadas também pela ascensão do Chega e da Iniciativa Liberal que subiram à terceira e quarta posição de partidos mais votados. À esquerda, Bloco e PCP perderam deputados, e PEV fica de fora. À direita, o CDS-PP não conseguiu eleger. Já o PAN só conseguiu eleger um deputado.

Infografia | Distribuição de mandatos dá empate técnico entre PS e PSD

PS deverá conquistar o maior número de mandatos, seguido do PSD. Chega e BE continuam a disputar a posição de terceira força política, com o primeiro a registar um crescimento significativo e o segundo a cair. CDU e IL também surgem em pé de igualdade. O PAN perderá representação, o Livre manterá um deputado. O CDS-PP pode deixar o Parlamento.

Infografia | Mais de metade dos devedores estão empregados

A maioria dos devedores particulares que está a passar por graves dificuldades económicas, mas que ainda não está em processo de insolvência, está empregado. A maioria das dívidas são relacionadas com o crédito pessoal, mas também ao Estado e serviços públicos essenciais e à habitação. Mais de 70% já tem processos cíveis associados.
Ver mais artigos