Autor
Rui Calafate, Consultor de Comunicação
Artigos

O ridículo mata

Passou o tempo em que uma guerra entre os sociais-democratas despertava a atenção e dava audiências. A degradação da marca PSD e o desinteresse generalizado por ela é um dos maiores legados de Rui Rio que, aliás, o ridículo matou.

Esquecimentos e o espertalhão irlandês

Vivemos numa narcotização bélica e ninguém se incomoda por termos mais de 20 mil infetados diários. Já ninguém se lembra de uma promessa das farmacêuticas: um comprimido anti-Covid.

Quatro notas para lá da guerra

Todos os leitores desta coluna já viram reportagens da vida de marajá de Vale e Azevedo em Londres.

A morte dos moderados

Que tipo de oposição farão Montenegro ou Moreira da Silva? É uma incógnita. Mas o “zeitgeist” mostra que o espírito do tempo tem dado espaço a radicais e que os posicionamentos moderados têm sido penalizados pelos eleitores.

A instabilidade dos jovens lobos

A maioria absoluta parlamentar só correrá o risco de desmoronar no dia em que António Costa anunciar que não será uma vez mais candidato a primeiro-ministro e líder do PS em 2026.

Avalanches de erros

Marcelo não se quer deixar apagar mas tem de compreender que a Presidência da República não é um partido e o Presidente não deve ser o líder da oposição, para isso existem as forças políticas partidárias.
Ver mais artigos