Autor
Tiago Freitas, analista em Assuntos Europeus
Artigos

Reputação!

Num mundo que todos dizem pretender agregar, ainda que alguns o façam pela lei da força, a Union Jack apostou no afastamento! Se o Reino Unido fosse submetido a uma página de feedback do Amazon ou do Aliexpress, receberia 1 estrela, por engano ao cliente e principalmente por mentira “in House”.

50 biliões de razões para não voltar ao Início!

O Banco Central Europeu cedo assumiu um papel de estabilizador da inflação, algo que tem sido repetido à exaustão pela bem comportada Christine Lagarde. A fórmula é simples e vem nos livros. Quando a inflação sobe, tocam os alarmes que o dinheiro está a valer pouco, logo há que subir as taxas de juro de referência.

FRANCAmente, União Europeia!

O que o entendimento da Comissão Europeia e a decisão do Tribunal de Justiça da união nos dizem, é que enquanto a baixa fiscalidade na Madeira for ao abrigo dos Auxílios de Estado autorizados por Bruxelas a Regiões Ultraperiféricas, considerará sempre por contradição Kafkiana, que esta tem de se cingir aos lucros sobre operações internas, sob pena de estar, no entendimento dos euroburocratas, de estarem em vantagem face às suas congéneres europeias. Na verdade, é este entendimento e o facto da baixa fiscalidade ser concedida ao abrigo do regime de auxílios de Estado que coloca a Madeira em desvantagem competitiva com Estados-membros que dispõem das suas taxas de IRC (quase) a seu bel-prazer.

A Expulsão de Ventura

O que incomoda Ventura, cada vez mais encostado à delinquência extremista, a única com grau de tolerância ilimitado para a imbecilidade. Daí que, de expulsão em expulsão, CHEGArá o dia em que Ventura terá de assumir que quem está mal é ele, e autoexcluir-se.

Uma Morte Manifestamente Exagerada

Além de ideologicamente estar mais perto da liderança regional, este novo contexto permite ao PSD nacional beber da fórmula do sucesso do PSD Madeira, ao mesmo tempo que este tem finalmente a influência nacional que o seu historial já há muito o justifica.

O Discurso Secreto!

A ligação do PCP ao processo democrático, que existiu, é uma coincidência, apenas. Eles queriam uma ditadura comunista, e para a instalar era necessário derrubar o fascismo. Este era o único ponto de convergência com os democratas e com a democracia, mas não deve promover equívocos.
Ver mais artigos