“Balanço extremamente positivo” das jornadas parlamentares do Chega

O líder do grupo parlamentar do Chega considerou os últimos dias extremamente positivos e destacou ao Jornal Económico que o foco foi a revisão constitucional pretendida pelo partido.

Luís Forra / Lusa

Terminam esta segunda-feira as jornadas parlamentares do Chega, que começaram no domingo. Ao Jornal Económico (JE) o líder do grupo parlamentar do Chega, Pedro Pinto, faz um balanço era “extremamente positivo”.

A partir do ponto de vista de variados oradores, “falamos de reformas para o país, mas sempre com foco no nosso projeto de revisão constitucional”, sublinhou ao JE Pedro Pinto.

O dirigente do Chega destacou as “excelentes palestras do professor Jorge Marcelo Gouveia, do doutor Rui Gomes da Silva, doutor Rui Soares da Veiga, João Pacheco Amorim e João Gonçalves Pereira”. “Deixaram a sua marca, o seu cunho pessoal, às vezes opiniões diferentes das nossas, mas é importante abrir o partido a essas ideias também. E é fundamental para o projeto que queremos na revisão constitucional”, frisou.

Além da revisão constitucional, Pedro Pinto enalteceu ainda temas que foram abordados como “a reforma fiscal” e o “combate à corrupção”. “Um tema que também nos é muito caro e que o partido não deixa cair”, garantiu.

As jornadas arrancaram na tarde de domingo, em Leiria, com um discurso do presidente do partido, André Ventura, seguindo-se um debate sobre “a Constituição e o modelo económico para o crescimento”.

Num comunicado divulgado no início do mês, o Chega já tinha avisado que estas jornadas parlamentares, as segundas no espaço de dois meses, seriam “exclusivamente dedicadas ao processo de revisão constitucional”.

De recordar que para que sejam feitas alterações à Constituição é preciso que dois terços dos votos da Assembleia da República para a medida ser aprovada.

Recomendadas

PAN defende aposta nos transportes públicos e revisão dos escalões de IRS

A porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, defendeu, este domingo, na proposta de Orçamento do Estado para 2023 o Governo deve apostar nos transportes públicos e na revisão dos escalões de IRS, além da valorização da proteção animal. “É fundamental que no Orçamento do Estado se garanta uma maior aposta nos transportes públicos, a revisão […]

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.

Cotrim de Figueiredo diz que a única certeza na TAP é a perda de dinheiro

O líder da IL comentava as declarações do primeiro-ministro, que disse, na quinta-feira, esperar que a privatização da TAP ocorra nos próximos doze meses.
Comentários