BBVA estima crescimento em cadeia de 0,4% da economia portuguesa no quarto trimestre

O departamento de análise do BBVA indica que a aceleração do Produto Interno Bruto (PIB) nacional verificada no terceiro trimestre resulta de novos aumentos da procura interna, tanto do consumo privado como do investimento.

A economia portuguesa deve crescer cerca de 0,4% no quarto e último trimestre do ano, de acordo com as estimativas do BBVA Research. O departamento de análise do BBVA indica que a aceleração do Produto Interno Bruto (PIB) nacional verificada no terceiro trimestre resulta de novos aumentos da procura interna, tanto do consumo privado como do investimento.

Na antevisão dos resultados para o quarto trimestre, o BBVA Research indica que “investimento e exportações recuperarão dinamismo, enquanto o consumo e o turismo poderão corrigir parte do impulso e as importações reduzirão o fôlego”.

Os dados mostram que a economia portuguesa acelerou ligeiramente no terceiro trimestre do ano, na variação em cadeia, até alcançar os 0,5%, tal como o BBVA Research havia antecipado. A procura interna contribuiu 0,7 pontos percentuais para o crescimento trimestral verificado entre julho a setembro, mais uma décima do que no trimestre anterior.

Também o consumo privado registou um forte dinamismo, tendo aumentado 1,4% em comparação com o trimestre anterior.

“A melhoria da confiança dos consumidores, assim como os bons registos do mercado laboral seriam alguns dos fatores que se encontram por detrás do dinamismo. Pela sua parte, o consumo público continua praticamente sem apresentar variações, o que é consistente com o processo de ajuste do défice público”, explica o BBVA Research, em comunicado.

O BBVA Research indica ainda que a procura externa líquida voltou a cair no terceiro trimestre ano. “Pelo segundo trimestre consecutivo, reduziu duas décimas ao avanço do PIB trimestral”, nota. Já as exportações registaram um aumento de 0,8%.

 

Recomendadas

Patrões vão ter majoração em 50% dos custos com aumentos salariais no IRC

No âmbito do acordo de rendimentos, o Governo decidiu propor aos parceiros sociais uma majoração em 50% dos custos com a valorização salarial em IRC. Patrões têm reclamado, note-se, medidas mais transversais.

Governo propõe reforço do IRS Jovem. Isenção sobe para 50% no primeiro ano

Jovens vão passar a ter um desconto fiscal maior, no início da sua carreira. IRS Jovem passará a prever uma isenção de 50%, em vez de 30%, no primeiro ano.

Governo quer atualizar os escalões do IRS em 5,1% em 2023

O Governo decidiu rever em alta o referencial dos aumentos salariais, puxando-o para o valor do aumento da massa salarial da Função Pública: 5,1%. Será esse o número que será usado para atualizar os escalões do IRS.
Comentários