BCE corta ligeiramente projecção de crescimento económico para 1,1% no próximo ano

No entanto, o banco central está ligeiramente mais otimista sobre a expansão do PIB dos países da moeda única este ano, projectando um crescimento de 1,2% (mais uma décima do que em setembro).

O Banco Central Europeu (BCE) cortou ligeiramente a projeção de crescimento da economia da zona euro para 1,1% este ano, face aos 1,2% previstos em setembro, anunciou esta quinta-feira Christine Lagarde na conferência de imprensa que se seguiu à reunião do Conselho de Governadores.

No entanto, o banco central está ligeiramente mais otimista sobre a expansão do PIB dos países da moeda única este ano, projetando um crescimento de 1,2% (mais uma décima do que em setembro). Já para 2021 vê a economia a crescer 1,4%.

Relativamente à inflação, o BCE manteve a projeção de 1,2%, mas está uma décima mais otimista para o próximo ano, esperando que atinja os 1,1%. Para 2021 projeta 1,4% (menos uma décima do que em setembro), subindo para 1,6% em 2022.

Relacionadas

Na primeira reunião de Lagarde, BCE mantém as taxas de juro inalteradas

O Banco Central Europeu manteve a taxa de juro aplicável às operações principais de refinanciamento e as taxas de juro aplicáveis à facilidade permanente de cedência de liquidez e à facilidade permanente de depósito inalteradas em 0%, 0,25% e −0,50%.
Recomendadas

OE2023: Margem orçamental para função pública está esgotada

Na primeira reunião, realizada na segunda-feira, o Governo indicou que a valorização da administração pública iria custar 1.200 milhões de euros, incluindo aumentos salariais, progressões e promoções e a revisão da tabela remuneratória.

PremiumBdP revê inflação em alta, mas pico já deverá ter passado

Banco central projeta taxa de 7,8%, a mais elevada desde 1993 nos preços, levando a perdas reais nos salários, que crescem a uma taxa mais baixa. Juros em alta não devem criar terramoto na dívida.

PremiumSalário mínimo da Função Pública vai subir 57 euros

A base remuneratória da Administração Pública vai subir 8% em janeiro, o que significa que esses trabalhadores não perderão poder de compra. Já a maioria dos demais funcionários públicos vai ter aumentos abaixo da inflação.
Comentários