BdP: Principal ameaça à estabilidade financeira é a reavaliação “abrupta” dos prémios de risco

No Relatório de Estabilidade Financeira, o Banco de Portugal salienta que este risco se agravou face à avaliação do último relatório da instituição.

O Banco de Portugal (BdP) alertou esta terça-feira que o risco derivado da reavaliação significativa e abrupta dos prémios de risco a nível global e europeu se agravou nos últimos meses.

“O agravamento da incerteza geopolítica e económica tanto a nível mundial como na Europa, a materialização parcial de alguns riscos provenientes das tensões comerciais, normalização da política monetária nos EUA e um enquadramento em que se perspetiva a desaceleração do crescimento económico mundial poderão conduzir a comportamentos de aversão ao risco e a reavaliação dos prémios de risco, transversal a vários segmentos do mercado financeiro”, salienta o regulador, no Relatório de Estabilidade Financeira.

O BdP alerta ainda para o efeito contágio da turbulência italiana. Ainda que o contágio do aumento das yields da dívida pública italiana tem sido limitado a outras economias, o relatório salienta que “caso a situação/incerteza se intensifique, poderá ocorrer uma reavaliação adicional do prémio de risco de Itália,  o reaparecimento de riscos de redenominação e de fragmentação fimanceira e económica na área do euro, podendo resultar numa deterioração do sentimento de mercado relativamente a outros Estados-Membros”.

No entanto, salienta que os diferentes níveis ou ritmos de ajustamento esperados da dívida pública poderão atenuar os efeitos do risco.

Recomendadas

Montepio aumenta para 1,25 mil milhões a emissão de obrigações hipotecárias que vencem em 2026

Na prática, é um reforço da emissão, mas em concreto o banco liderado por Pedro Leitão anuncia a ficha de uma nova emissão de 750 milhões de euros que são fungíveis com os 500 milhões já emitidos, pelo que no final a emissão total sobe para 1.250 milhões de euros.

“Falar Direito”. “Diploma da renegociação cria ónus sobre bancos que têm crédito à habitação”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica quais são, na sua perspetiva, os dois principais problemas associados ao novo diploma relativo à renegociação de créditos.

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Ouça o “Falar Direito”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica o que muda para consumidores e banca com a entrada em vigor do novo diploma relativo à renegociação de créditos.
Comentários