Bolsonaro procura comprador para cataratas de Iguacú

O Presidente quer reequilibrar as contas do Brasil com a privatização e concessão de uma parte importante do património natural do país.

Varela Notícias

Três das principais belezas naturais do Brasil estão à venda. O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, no estado do Maranhão, na costa Atlântica. O Parque Nacional de Jericoacoara, no estado do Ceará, que inclui a praia com o mesmo nome, paraíso do windsurf. E a mais conhecida de todas – o Parque Nacional de Iguaçú, no estado do Paraná, que alberga as famosas cataratas entre a Argentina e o Brasil, consideradas a sétima maravilha natural do mundo.

Os três parques constam do Plano Nacional de Desestatização, ou PND, como é vulgarmente conhecido, o plano de privatizações e concessões lançado por Jair Bolsonaro para concretizar a sua agenda liberal e arrecadar receitas para o erário público.

O objetivo é “vender tudo” para reequilibrar as contas do país, disse recentemente o ministro da Economia, Paulo Guedes, apontando a fasquia de 250.000 milhões de reais, uns 55 mil milhões de euros. O governante admitiu, no entanto, que a execução do plano está a ser mais difícil do que o previsto inicialmente. Até à data, segundo avançou, as privatizações/concessões arrecadaram 100 mil milhões de reais, o equivalente a 21,83 mil milhões de euros.

Segundo avança a imprensa brasileira, o decreto referente à privatização/concessão dos parques naturais já foi publicado no Diário Oficial da União, o equivalente ao nosso Diário da República.

 

Recomendadas

Guterres condena “veementemente” golpe de Estado no Burkina Faso

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou este sábado “veementemente”, num comunicado, “qualquer tentativa de tomada do poder pela força das armas” no Burkina Faso, um dia após um novo golpe de Estado no país, o segundo em oito meses.

Manifestantes denunciaram repressão violenta sobre ativistas no Irão

Milhares de manifestantes em várias universidades iranianas e em vários países protestaram este sábado contra a repressão sobre movimentos de protesto pela morte de Mahsa Amini, a jovem acusada de violar o código de indumentária da República Islâmica.

Bolsonaro agradece apoio de líderes europeus de extrema-direita, entre eles André Ventura

O presidente Jair Bolsonaro, que pretende ser reeleito no domingo, agradeceu este sábado as mensagens de apoio que recebeu de líderes da extrema-direita da Europa, como o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, ou o líder do Chega, André Ventura.
Comentários