Brasileira burlou a própria mãe em 137 milhões de euros

Sabine Coll Boghici terá contratado um gangue para convencer a sua mãe a pagar por um “trabalho espiritual” que iria salvar a vida da sua filha. No momento da detenção a polícia encontrou dezenas de obras de arte e joias.

Uma mulher de origem brasileira terá burlado a própria mãe em 137 milhões de euros. Sabine Coll Boghici foi detida na última quarta-feira acusada de ter contratado um gangue para burlar a própria mãe e do roubo de várias obras de arte, entre as quais “O Sol Poente” pintado por Tarsila Amaral e avaliado em 57 milhões de euros, conta a “CNN”.

O esquema teve início em janeiro de 2020 quando a vítima foi abordada por um falso vidente que convenceu Genevieve Boghici de 82 anos de que a sua filha estaria à beira da morte, tendo de resto levado a idosa a uma sacerdotisa e cartomante que confirmaram a falsidade da história.

A vítima terá feito perto de 10 milhões de euros em transferências de dinheiro para pagar o “trabalho espiritual” e assim salvar a vida da sua filha. No entanto, um mês depois a idosa percebeu que estaria a ser alvo de fraude e recusou dar mais dinheiro.

Foi então que entre fevereiro de 2020 e abril de 2021, Genevieve Boghici, foi feita refém dentro da própria casa pela sua filha, tendo sido agredida pelos outros membros do gangue. Quase um ano depois a vítima conseguiu entrar em contacto com a polícia.

Na operação levada a cabo na quarta-feira a polícia encontrou 16 quadros e joias. O “Sol Poente” de Tarsila Amaral estava entre as 11 pinturas recuperadas numa busca feita no Rio de Janeiro na casa do vidente.

As autoridades também recuperaram três pinturas em São Paulo, sendo que duas foram vendidas para um museu em Buenos Aires e ainda não foram recuperadas.

No total, a polícia refere que sete pessoas são suspeitas do envolvimento no crime e têm pela frente acusações de peculato, roubo, extorsão associação criminosa e rapto.

Recomendadas

Guterres condena “veementemente” golpe de Estado no Burkina Faso

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou este sábado “veementemente”, num comunicado, “qualquer tentativa de tomada do poder pela força das armas” no Burkina Faso, um dia após um novo golpe de Estado no país, o segundo em oito meses.

Manifestantes denunciaram repressão violenta sobre ativistas no Irão

Milhares de manifestantes em várias universidades iranianas e em vários países protestaram este sábado contra a repressão sobre movimentos de protesto pela morte de Mahsa Amini, a jovem acusada de violar o código de indumentária da República Islâmica.

Bolsonaro agradece apoio de líderes europeus de extrema-direita, entre eles André Ventura

O presidente Jair Bolsonaro, que pretende ser reeleito no domingo, agradeceu este sábado as mensagens de apoio que recebeu de líderes da extrema-direita da Europa, como o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, ou o líder do Chega, André Ventura.
Comentários