Bruxelas propõe suspensão de um ano dos direitos de importação de todos os produtos ucranianos

A informação foi avançada pelo primeiro-ministro da Ucrânia, Denys Smyhal, numa altura em que o país está a negociar a possibilidade de enviar exportações ucranianas pelos portos de países como a Alemanha, a Polónia ou a Roménia.

A Comissão Europeia propôs esta quarta-feira, 27 de abril, a suspensão durante um ano dos direitos de importação sobre todos os produtos ucranianos que sejam entregues à União Europeia (UE).

De acordo com o “Interfax” esta informação foi transmitida pelo primeiro-ministro da Ucrânia, Denys Smyhal, através da rede Telegram.

“Hoje a Comissão Europeia propôs suspender todos os direitos de importação sobre todos os produtos ucranianos entregues à União Europeia por um período de um ano. É um gesto sem precedentes de apoio ao nosso país. Nunca antes a UE tomou medidas de liberalização comercial em larga escala em relação a qualquer país”, afirmou o líder ucraniano.

Denys Smyhal acredita que esta decisão da União Europeia vai abrir mais oportunidades para os negócios e produtos da Ucrânia que desse modo podem vir a ganhar uma vantagem competitiva extra no mercado europeu. “Mantivemos conversas sobre o cancelamento das taxas com os nossos parceiros europeus e estamos gratos pelo apoio à Ucrânia”, referiu.

A Ucrânia está atualmente a negociar a possibilidade de enviar exportações ucranianas pelos portos de países como a Alemanha, a Polónia, a Roménia e a Lituânia. “Continuamos a trabalhar para persuadir os nossos outros aliados a suspenderem as taxas sobre os produtos ucranianos juntamente com os países da UE e o Reino Unido”, salientou Denys Smyhal.

Recomendadas

Vladimir Putin teve cancro, diz realizador Oliver Stone

Vencedor de quatro Óscares da Academia, Oliver Stone entrevistou o presidente russo entre 2015 e 2017 e acredita que Putin tenha recuperado da doença. 

Ucrânia: EUA acabam com exceção que permitia à Rússia pagar dívida em dólares

Prevista no âmbito das drásticas sanções impostas a Moscovo devido à invasão da Ucrânia, a exceção acabará às 00:01 de quarta-feira (05:01 de Lisboa), dois dias antes do próximo prazo de pagamento da Rússia.

CEO da Microsoft destaca plataforma para ajudar a Ucrânia criada por português

Satya Nadella diz que o “Ukraine Live Aid”, para prestar apoio aos refugiados ucranianos, foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages da Microsoft.
Comentários