Califórnia recebe eventos para americanos interessados em viver em Portugal

“O alvo é quem está interessado em mudar-se para Portugal para viver”, disse à Lusa Bruce Hawker, CEO da Open Media. “Desde uma pessoa que está prestes a reformar-se ao nómada digital que quer ir trabalhar remotamente, a alguém que esteja interessado em criar uma startup em Portugal ou famílias com crianças”, indicou o responsável. 

Dois eventos “Living in Portugal”, organizados pela empresa algarvia Open Media, vão promover o país em Los Angeles e São Francisco junto de americanos que queiram viver em Portugal, numa altura em que o interesse cresce exponencialmente.

“O alvo é quem está interessado em mudar-se para Portugal para viver”, disse à Lusa Bruce Hawker, CEO da Open Media. “Desde uma pessoa que está prestes a reformar-se ao nómada digital que quer ir trabalhar remotamente, a alguém que esteja interessado em criar uma startup em Portugal ou famílias com crianças”, indicou o responsável.

Marcados para fevereiro de 2023, os eventos estão a ser concebidos para cerca de 120 pessoas cada. A Open Media, que edita títulos como Essential Algarve e Portugal Resident, será acompanhada por uma dúzia de empresas de várias áreas, que irão promover os seus serviços e responder a questões neste “roadshow” pela Califórnia.

Segundo Bruce Hawker, parte do interesse que se verifica vem de lusodescendentes, sendo a Califórnia o estado com maior população de origem portuguesa nos Estados Unidos.

“Há muitos portugueses de segunda geração, que já são completamente californianos, mas que querem voltar para Portugal”, indicou Hawker. “Como não estão muito a par da situação, por exemplo a nível de investimento, a ideia é poder responder às perguntas de quem quer ir viver para Portugal”.

O orador principal dos eventos será Jonathan Littman, fundador da RedBridge Lisbon e autor de um artigo de 2021 para a LA Magazine intitulado “The new California dream is in Portugal” (O novo sonho da Califórnia está em Portugal).

Segundo Hawker, é mesmo na Califórnia que se verifica o maior interesse em Portugal, algo que pode ser atribuído a vários fatores: a semelhança do clima, o custo de vida mais baixo com boa qualidade, e também a segurança. “Portugal é visto como um local calmo, ameno e seguro”, frisou.

As empresas que irão acompanhar a Open Media neste périplo vão desde sociedades imobiliárias a advogados, tecnologia e fiscalidade. Estão confirmadas a CMS Law, Castelhana, Sovereign Group, Blacktower Financial Management, Kronos Homes, Martinhal Group, Ombria Resort, Fine & Country Algarve, Casas do Barlavento, Currencies4You e Dengun.

O evento em Los Angeles será a 9 de fevereiro no Luxe Sunset Boulevard Hotel e o de São Francisco a 11 de fevereiro no Palace Hotel.

Se tudo correr bem, a ideia é fazer mais eventos destes nos Estados Unidos, onde existir maior procura por informações e serviços para ajudar na mudança para Portugal.

“Este projeto na Califórnia é a edição-piloto”, disse Bruce Hawker, referindo que está a ser feito um forte investimento em marketing para atrair os participantes. Depois, poderá haver outras cidades. “Falando com as empresas participantes, fala-se em Nova Iorque, Atlanta e Chicago, mas ainda está por definir”.

Segundo explicou, os eventos vão incluir esclarecimentos sobre o processo de obtenção de autorização de residência. ​​​​​​​Hawker também notou que o interesse em Portugal a partir dos EUA está num ponto muito alto.

“Dos Estados Unidos nunca houve um interesse destes. Era um mercado praticamente inexistente há cerca de cinco ou seis anos”, considerou. “Tem vindo a crescer de uma forma exponencial nos últimos três anos”, disse, algo que só foi reforçado pelas tendências que surgiram com a pandemia de covid-19.

Recomendadas

Fitch Rating antecipa ano desastroso para o sector imobiliário

Os países que preferiram as taxas variáveis e permitiram um forte aumento do preço das casas estão especialmente vulneráveis à inflação e à queda da procura. Portugal não faz parte do estudo, mas tem tudo para fazer parte do pior cenário.

Revolut nomeia Elisabet Girvent para responsável de vendas em Espanha e Portugal

O seu objetivo passa por continuar a expandir os serviços da Revolut Business na região. A Revolut Business é o serviço bancário empresarial da Revolut. Esta solução encontra-se em funcionamento desde 2017 e foi concebida para atender às necessidades de start-ups, PME familiares e grandes empresas tecnológicas.

Noção de mercados emergentes na banca está morta, diz Mckinsey. Ásia concentra crescimento

Os bancos na Ásia-Pacífico podem ganhar com uma perspectiva macroeconómica mais forte, enquanto que os bancos europeus enfrentam uma perspectiva mais sombria. “No caso de uma longa recessão, estimamos que a rendibilidade dos bancos a nível mundial possa cair para 7% até 2026 e para baixo dos 6% nos bancos europeus”, diz a Mckinsey.
Comentários