Casa Branca admite novo encontro entre Joe Biden e Vladimir Putin por causa da Ucrânia

Jen Psaki disse que “caso seja um passo recomendado, e pensamos que pode ser positivo nesta fase da discussão, o Presidente está sempre aberto a discussões de líder a líder”.

A Casa Branca indicou esta sexta-feira que não exclui um encontro entre o Presidente dos EUA e o seu homólogo russo Vladimir Putin, caso contribua para diminuir a tensão bilateral devido à concentração de tropas russas junto à fronteira ucraniana.

Na sua conferência de imprensa diária, e perante a ausência de progressos nas conversações entre as duas partes, a porta-voz presidencial, Jen Psaki, informou que Biden se vai reunir este fim de semana na residência de Camp David com a sua equipa de Segurança Nacional e o secretário de Estado, Antony Blinken, para abordar “os próximos passos” a seguir.

Ao referir-se à possibilidade de uma nova reunião entre Biden e Putin, Psaki disse que “caso seja um passo recomendado, e pensamos que pode ser positivo nesta fase da discussão, o Presidente está sempre aberto a discussões de líder a líder”.

Biden e Putin já se encontraram pessoalmente num encontro presidencial em junho de 2020 em Genebra (Suíça), e em dezembro mantiveram uma reunião virtual com o objetivo de reduzir a tensão bilateral.

O comentário do porta-voz da Casa Branca surgiu na sequência da reunião que Blinken manteve em Genebra com o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, um encontro que não registou progressos significativos.

Em Genebra, o chefe da diplomacia dos EUA confirmou que Washington apresentará “respostas escritas” às exigências de Moscovo sobre a situação na Ucrânia, na próxima semana.

Contudo, na conferência de imprensa no final do encontro, Blinken não esclareceu se essas respostas se referem a todas as exigências apontadas por Moscovo, nomeadamente sobre as condições de a NATO não aceitar candidaturas de inclusão por parte de países da Europa de Leste.

Blinken também disse que exigiu a Lavrov provas de que a Rússia não tem planos para invadir a Ucrânia, como o Ocidente suspeita, perante a concentração de cerca de 100 mil soldados russos junto das fronteiras ucranianas.

O chefe da diplomacia dos EUA não descartou a hipótese de uma nova cimeira entre Biden e Putin, na eventualidade de avanços sobre a situação na Ucrânia, embora Lavrov tenha considerado essa ideia “prematura”, durante a sua própria conferência de imprensa no final do encontro bilateral.

Relacionadas

Estados Unidos e Rússia baixam (muito) ligeiramente tensão por causa da Ucrânia

As posições mantêm-se irredutíveis dos dois lados do conflito, mas os analistas consideram que, enquanto se mantiver aberta a porta do diálogo, permanece uma réstia de esperança.
Recomendadas

Presidente do BAD quer duplicação do capital do Fundo Africano de Desenvolvimento

O Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento celebrou os 50 anos do Fundo Africano de Desenvolvimento (FAD), que quer mais poderoso para fazer face aos desafios.

“Realidade devastadora”. Ator Matthew McConaughey condena tiroteio na sua terra natal no Texas

“Mais uma vez, provamos tragicamente que não estamos a ser responsáveis ​​pelos direitos que as nossas liberdades nos concedem”, escreveu McConaughey em comunicado partilhado nas redes sociais.

Parlamento polaco aprova extinção de órgão judicial criticado pela União

O parlamento polaco aprovou a extinção de um controverso órgão disciplinar do Supremo Tribunal da Polónia que o governo de direita tem usado como arma de punição.
Comentários