Charles Michel confiante em soluções para sancionar ouro russo sem sofrer impacto

“Estou confiante de que as questões e medidas técnicas podem ser encontradas para poder visar esse sector sem sermos vítimas de efeitos negativos”, afirmou o presidente do Conselho Europeu.

Copyright: European Union

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, disse estar confiante de que se poderão encontrar soluções para sancionar o setor do ouro russo sem sofrer as consequências dessa decisão.

As declarações de Michel foram feitas numa conferência de imprensa em Elmau, na Alemanha, quando foi questionado sobre o anúncio feito pelo Presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Joe Biden, de que o G7, cujos líderes estão reunidos durante três dias no sul da Alemanha, irá anunciar a proibição da importação de ouro da Rússia como parte das medidas destinadas a sancionar a invasão da Ucrânia.

“É importante não tomar medidas que aparentemente consideramos agradáveis e eficientes, mas que, se olharmos para os efeitos colaterais, teriam consequências negativas”, disse Michel.

“Estou confiante de que as questões e medidas técnicas podem ser encontradas para poder visar esse setor sem sermos vítimas de efeitos negativos”, afirmou o presidente do Conselho Europeu, que reconheceu que a questão seria abordada na reunião do G7.

Em paralelo, acrescentou, haverá uma coordenação com os Estados membros da União Europeia (UE) para “ter a certeza de que podem ser tomadas decisões unânimes”.

O Presidente dos EUA afirmou hoje no Twitter que o G7, grupo de grandes potências industrializadas (França, Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Itália, Canadá e Japão) vai anunciar a proibição da importação de ouro da Rússia.

“Em conjunto com o G7 anunciaremos que proibimos a importação de ouro russo, uma importação de relevo que gera dezenas de milhares de dólares à Rússia”, disse Joe Biden no Twitter.

O Presidente acrescentou na rede social que “os Estados Unidos impuseram sanções sem precedentes contra [o Presidente russo Vladimir] Putin para lhe retirar as receitas de que necessita para financiar a sua guerra contra a Ucrânia”.

Anteriormente, Downing Street tinha anunciado que Reino Unido, EUA, Canadá e Japão iriam proibir as importações de ouro russo.

A Rússia é um importante país produtor de ouro, com exportações no valor de quase 15.000 milhões de euros em 2021, de acordo com Downing Street.

Banir o ouro dos mercados londrinos, um importante centro financeiro para o comércio de mercadorias, terá, portanto, “um enorme impacto na capacidade de Putin de angariar dinheiro”, referiu o Governo britânico em comunicado.

A medida afetará particularmente as elites russas que possam ter comprado ouro “numa tentativa de contornar as sanções ocidentais”, acrescentou.

Contudo, a proibição só se aplica ao ouro recentemente extraído na Rússia e não ao ouro adquirido antes de o embargo ter sido posto em prática.

O Reino Unido impôs algumas das sanções mais duras entre os países ocidentais contra a Rússia desde que a invasão da Ucrânia começou, há quatro meses, visando o setor financeiro, o mercado do petróleo e dezenas de oligarcas, o que abrange um total de mais de 100 entidades e 1.000 pessoas.

Os líderes do G7 estão reunidos no sul da Alemanha a partir de hoje para uma cimeira de três dias, à qual se seguirá uma reunião dos países da NATO (Organização do Tratado Atlântico Norte) em Madrid.

Recomendadas

Ucrânia. Preço do gás com novo máximo devido a paragem anunciada no Nord Stream

O preço do gás europeu continuou hoje a aumentar atingindo um novo recorde no encerramento, depois de ter sido anunciado que o fornecimento de gás através do gasoduto Nord Stream será interrompido durante três dias.

França nega “obstáculo” às exportações russas e vê “instrumentalização”

A presidência francesa defendeu hoje que não existe “obstáculo” às exportações de produtos agrícolas russos, considerando as críticas nesse sentido do chefe de Estado da Rússia, Vladimir Putin, uma tentativa de “instrumentalização política”.

EUA propõem Zelensky na cimeira do G20 se Putin também participar

Os EUA propuseram que o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, também participe na cimeira dos líderes do G20 se o seu homólogo russo, Vladimir Putin, aceitar o convite da Indonésia e comparecer na reunião, marcada para novembro em Bali.
Comentários