Ciberataques. Presidente da República tomou “algumas precauções”

O Presidente da República afirmou hoje ter tomado conhecimento “da fuga de informação de dados privados” resultante de um ciberataque à TAP Air Portugal, que o levou a tomar “algumas precauções”, designadamente quanto ao seu endereço digital.

Marcelo Rebelo de Sousa

Numa nota colocada no portal da Presidência na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa esclarece que “tomou conhecimento da fuga de informação de dados privados, devida a intrusão ilegal de registos da TAP Air Portugal, por um cidadão que a eles tivera acesso”.

“Imediatamente [o PR] tomou algumas precauções quanto ao único dado que não era generalizadamente conhecido: o endereço digital. Quanto ao resto – nome completo, data de nascimento e residência – já existia esse conhecimento”, refere ainda a nota.

Os dados pessoais dos clientes da TAP divulgados pelo grupo de cibercriminosos Ragnar Locker, que atacou a companhia aérea em agostos, vão do nome, morada, ‘e-mail’, data de nascimento até data de registo e número de passageiro.

A TAP revelou os dados atacados são “nome, nacionalidade, sexo, data de nascimento, morada, e-mail, contacto telefónico, data de registo de cliente e número de passageiro frequente”.

Ciberataques: TAP alerta clientes afetados para “risco de uso ilegítimo” de dados (com áudio)

A companhia aérea indicou que a informação divulgada relativamente a cada cliente pode variar, reiterando que “não há indícios de que dados de pagamento tenham sido exfiltrados dos sistemas”.

O Ministério Público já confirmou a abertura de um inquérito ao ataque informático à TAP.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Mark Bourke prevê subir o rácio de capital do Novobanco em cerca de 1% só com os lucros deste ano

“O nosso plano é o Novobanco ser independente e competitivo”, disse o CEO. Sobre se a Lone Star estava a negociar já com potenciais compradores numa venda futura do Novobanco, Mark Bourke respondeu “absolutamente que não”.

EDP emite 500 milhões de dólares de ‘green bonds’ a 5 anos

Esta emissão destina-se ao financiamento (ou refinanciamento) do portfólio de projetos renováveis elegíveis da EDP, anuncia a empresa.
Comentários