Comércio a retalho diminuiu 1,3% na zona euro e na UE em abril

Em abril de 2022, na zona euro, o volume do comércio a retalho diminuiu 2,6% para os alimentos, bebidas e tabaco e em 0,7% para produtos não alimentares, tendo aumentado 1,9% para combustíveis automóveis.

O volume do comércio a retalho caiu 1,3% na zona euro e na União Europeia (UE) em abril deste ano em comparação com o mês anterior, segundo os dados divulgados esta sexta-feira pelo Eurostat.

No mês passado, o volume do comércio a retalho aumentou 0,3% na zona euro e 0,6% na UE.

Em abril de 2022, o índice de vendas a retalho aumentou 3,9% na zona do euro e em 5,0% na UE, face aos números de abril de 2021.

Em abril de 2022, na zona euro, o volume do comércio a retalho diminuiu 2,6% para os alimentos, bebidas e tabaco e em 0,7% para produtos não alimentares, tendo aumentado 1,9% para combustíveis automóveis.

Na UE, o volume do comércio a retalho diminuiu 2,3% para alimentos, bebidas e tabaco e 0,9% para produtos não alimentares, tendo aumentado 1,4% para os combustíveis automóveis.

As maiores diminuições mensais no volume total do comércio a retalho foram registados na Eslovénia (-7,7%), Alemanha (-5,4%) e Letónia (-3,9%), tendo os maiores aumentos ocorrido em Espanha (+5,3%), Luxemburgo (+3,7%) e Irlanda (+1,9%).

Na zona euro, em abril de 2022, em comparação com o mês homólogo, o volume do comércio a retalho aumentou 14,6% para combustíveis para automóveis e em 8,9% para produtos não alimentares, enquanto que diminuiu em 4,0% para alimentos, bebidas e tabaco.

Na UE, o volume do comércio a retalho aumentou 14,6% para os combustíveis para automóveis e 9,6% para os produtos não alimentares, tendo diminuído 2,8% para alimentos, bebidas e tabaco.

De acordo com o Eurostat, os maiores aumentos anuais no volume total do comércio a retalho foram registados na Eslovénia (+29,6%), Polónia (+21,1%) e Malta (+17,5%), sendo que as maiores quebras foram observadas na Finlândia (-3,4%), Luxemburgo (-2,9%) e Bélgica (-1,9%).

Recomendadas

Vítor Constâncio vê Portugal com menor probabilidade de uma recessão do que resto da UE

A reduzida exposição à energia russa significa que Portugal está numa posição vantajosa para fazer face aos próximos semestres, considerou o antigo governador do BdP, ainda que seja expectável uma “recessão leve” na Europa e nos EUA.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira, 4 de julho

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta segunda-feira.

Produção industrial aumentou 12% em 2021, retomando os níveis de 2019 (com áudio)

Entre os produtos mais vendidos o ano passado, destacaram-se os Gasóleos e Marine Diesel, que registaram um crescimento de 4,2% e representaram 3,7% do total das vendas de produtos produzidos.
Comentários