Comércio a retalho na zona euro cai 3,7% em junho

Os dados foram hoje publicados pelo serviço estatístico comunitário, o Eurostat, e indicam que, em junho de 2022 em comparação com junho de 2021, o índice de vendas a retalho ajustado sazonalmente diminuiu 3,7% na zona euro e 2,8% na UE.

O volume de comércio a retalho caiu 3,7% na zona euro e 2,8% na União Europeia (UE) em junho deste ano relativamente ao mesmo mês de 2021, com destaque para produtos não alimentares, registando-se, porém, subidas nos combustíveis.

Os dados foram hoje publicados pelo serviço estatístico comunitário, o Eurostat, e indicam que, em junho de 2022 em comparação com junho de 2021, o índice de vendas a retalho ajustado sazonalmente diminuiu 3,7% na zona euro e 2,8% na UE.

Por sector, na zona euro em junho deste ano relativamente ao mesmo período homólogo do ano passado, o volume do comércio a retalho baixou 4,8% para produtos não alimentares e 3,1% para alimentos, bebidas e tabaco, crescendo, porém 2% para combustíveis automóveis.

Já no conjunto da UE, o volume do comércio a retalho caiu 3,9% para produtos não alimentares e 2,3% para alimentos, bebidas e tabaco, subindo também 2,7% para combustíveis para automóveis.

Na variação mensal, o volume sazonalmente ajustado do comércio a retalho diminuiu, em junho, 1,2% na zona euro e 1,3% na UE em comparação com maio de 2022.

Por sector, em junho deste ano relativamente ao mês anterior, o volume do comércio a retalho recuou na zona euro 2,6% para os produtos não alimentares, 1,1% para os combustíveis automóveis e 0,4% para os alimentos, bebidas e tabaco.

Na UE, o volume do comércio a retalho baixou 2,6% para produtos não alimentares, 1,4% para combustíveis para automóveis e 0,2% para alimentos, bebidas e tabaco.

Entre os Estados-membros (para os quais existem dados disponíveis), as maiores reduções mensais no volume total do comércio a retalho foram registadas na Dinamarca (-3,8%), Holanda (-3,4%) e Estónia (-2,4%), enquanto as maiores subidas se verificaram na Irlanda e Malta (ambos +0,5%), Finlândia (+0,3%) e Áustria (+0,2%).

Na comparação homóloga, as maiores diminuições anuais no volume total do comércio a retalho aconteceram, em junho deste ano, na Dinamarca (-9,5%), Alemanha e Irlanda (ambos -8,8%) e Holanda (-6,1%), enquanto os maiores aumentos foram verificados na Eslovénia (+22,1%), Polónia (+9,3%) e Chipre (+8,4%).

Portugal registou uma subida de 0,9% em termos homólogos e uma descida de 1,9% na variação mensal.

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.
Comentários