Como um dos criadores do Facebook se tornou no mais rico de Singapura

Eduardo Saverin, que esteve ao lado de Zuckerberg na criação da rede social, nasceu no Brasil mas é o mais rico da Singapura.

Saverin nasceu no Brasil, mas morou no País até aos 14 anos, quando a família se mudou para Miami – temendo a possibilidade de que Eduardo viesse a ser sequestrado por causa da fortuna de seus pais. Nos Estados Unidos, Saverin foi tirar Economia na prestigiada Universidade de Harvard e ganhou fama por lucrar 300 mil dólares no mercado de futuros de petróleo ainda durante a faculdade. Era o prenúncio de uma carreira de sucesso. Ainda na faculdade, Saverin ajudou Mark Zuckerberg a fundar o Facebook, junto com Dustin Moskovitz, Chris Hughes e Andrew McCollum.

Após assumir a posição de CFO (Chief Financial Officer) do Facebook, Saverin acabou por ser afastado da empresa depois de desavenças com Zuckerberg mas tornou-se bilionário graças à sua participação na empresa. Um dos quartos do apartamento de Eduardo Saverin serve de escritório.

O empresário não gosta de secretárias. Tem três monitores Mac de 27 polegadas que dividem a atenção com um iPhone e um iPad, permanentemente ligados à internet. O brasileiro, de 35 anos, entrou numa enorme polémica quando decidiu renunciar à cidadania americana. Agora o mais rico da Singapura (com uma fortuna estimada em 10,3 mil milhões de dólares), um dos jovens milionários da tecnologia e dono da quinta maior fortuna do Brasil. Neste país asiático, onde vive há cinco anos, investe em startups, e é um dos principais financiadores do empreendedorismo na Ásia.

Em fevereiro de 2015, estreou-se no mercado indiano ao aplicar 11 milhões de dólares no Hopscotch, empresa de ‘e-commerce’ especializada em roupas para crianças e bebés, fundada em 2012. Depois de ver um crescimento de mais de 20% no último ano, investiu mais 13 milhões de dólares em fevereiro.

Outra aposta recente na região foi o portal de notícias Tech in Asia, que se define como “uma comunidade ‘on line’ voltada para o ecossistema de startups na Ásia”. Apesar do foco na região asiática, a empresa tem dois escritórios na Califórnia (Los Angeles e São Francisco). Aliás, em janeiro de 2011, liderou um round de investimentos para a aplicação Qwiki, app que mistura conteúdo multimédia, como fotos, músicas e vídeos, para contar uma história. A empresa foi comprada pela Yahoo! por 50 milhões de dólares.

Recomendadas

Itália. UE quer novo governo a cumprir programa económico para receber mais financiamento

A Comissão Europeia indica que Itália já atingiu 45 metas nos planos de reforma que incluem áreas como o ensino e saúde, de forma a poder receber mais 21 mil milhões de euros em fundos de recuperação pós-pandemia.

Inflação. Centeno aponta para preços mais altos e menos temporários que esperado

O governador do Banco de Portugal (BdP), Mário Centeno, admitiu hoje que a inflação vai ser mais elevada e menos temporária, apontando para uma revisão em alta da taxa nas próximas projeções do banco central.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.
Comentários