“Daqui a 10 ou 20 anos, a saúde será completamente diferente”, diz diretor executivo da Health Cluster Portugal

No campo das agendas estratégicas, acredita que haverá uma grande aposta na inovação, digitalização e industrialização.

A saúde será completamente diferente no futuro, disse hoje o diretor executivo da Health Cluster Portugal durante o Fórum da Industria Farmacêutica organizado pelo Jornal Económico (JE).

Joaquim Cunha procedeu ao discurso de abertura do evento, tendo abordado o conceito de “nova saúde”. “Daqui a 10 ou 20 anos a saúde será completamente diferente”, considerou.

Esta nova saúde “corporizará um evolução disruptiva face à Saúde que hoje conhecemos, que, diga-se, é uma das maiores conquistas da humanidade”, destacou Joaquim Cunha, acrescentando que no futuro a saúde estará suportada na digitalização e no uso inteligente dos dados, do big data”. “Estamos no limiar de uma nova saúde”, sublinhou.

Segundo o responsável, a nova saúde estará “desenhada para responder sobretudo à doença crónica em vez da oferta atual basicamente concebida para dar resposta a episódios agudos”, bem como vai dar “novas respostas e soluções onde ganham peso as preocupações com os nossos estilos de vida”. “Trata-se de um paradigma completamente novo”, assegurou.

Quanto a tendências, Joaquim Cunha defendeu que em cima da mesa estará a “integração de dispositivos e dados em modelos de cuidado inovadores, uma maior colaboração, uma maior relevância das doenças crónicas, uma nova dimensão de vantagem competitiva”. Relativamente ao paciente, surge o conceito de paciente 2.0 que terá maior acesso à informação e maior participação na decisão.

No campo das agendas estratégicas, o diretor executivo da Health Cluster Portugal acredita que haverá uma grande aposta na inovação, digitalização e industrialização.

Sobre apostas determinantes na saúde, Joaquim Cunha defendeu um plano de desenvolvimento que incluísse medicamentos inovadores, smart health, ensaios clínicos e valorização do conhecimento.

O diretor executivo da Health Cluster Portugal também afirmou que se deveria a criação de um instituto do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Este instituto tem como objetivo “trazer mais e melhor gestão ao SNS”.

“O Instituto SNS surge como uma entidade estrategicamente posicionada para responder de forma integrada e afetiva às pressões e desafios do SNS”, disse Joaquim Cunha, acrescentando que o instituto deveria funcionar “como cérebro do SNS” e adotar uma “estrutura ágil e uma figura jurídica coerente com as suas funções”.

Recomendadas

Premium“Redudâncias” condicionam contabilistas

Num sector onde a digitalização acelerou nos últimos anos, os profissionais continuam a queixar-se de uma burocracia excessiva que os afasta das suas atividades nucleares. Atração e retenção de talento é outro dos principais desafios.

PremiumMira com investimento de 30 milhões para gestão da água

Compatibilizar valores e recursos naturais com o aproveitamento do potencial para a produção de hortofrutícola no Aproveitamento Hidroagrícola do Mira é o maior desafio da região, afirmou o secretário de Estado da Agricultura.

Gonçalo Moura Martins defende que empresas portuguesas precisam de escala

O CEO da construtora falava num painel de empresários constituído por António Pires de Lima, CEO da Brisa, Jorge Rebelo de Almeida, presidente do Grupo Vila Galé, e Francisco Cary, administrador da Caixa Geral de Depósitos, sobre o atual contexto de crise.
Comentários