De Obama aos ‘Silence Breakers’: que personalidades consagrou a capa da ‘Time’ nos últimos 10 anos?

Desde 1927, 91 figuras foram destacadas pela ‘TIME’. Em 2018, os jornalistas são aplaudidos pela revista norte-americana. Estas foram as ultimas 10 Personalidades do Ano, uma capa onde já figuraram Adolf Hitler e Josef Stalin, entre outros.

A tradição de escolher um ‘A Figura do Ano’ começou em 1927, quando os editores da ‘Time’ pensavam sobre o que escrever numa semana de poucas notícias. Desde então, 91 figuras foram destacadas pela revista norte-americana.

O título é frequentemente confundido como uma honra. Muitos, incluindo alguns membros da imprensa dos EUA, continuam a olhar para a ideia de que o título de “Figura do Ano” é um prémio ou recompensa, apesar das frequentes declarações da revista que dizem o contrário. Parte da confusão vem do facto de que muitas pessoas admiráveis (sob um certo ponto de vista) receberam o título — talvez a maioria. Enquanto que outras figuras mais polémicas como Adolf Hitler, Josef Stalin, Vladimir Putin ou o próprio Trump foram merecedoras de uma capa também.

Este ano, os destacados foram os jornalistas, ou citando a revista ‘os guardiões’. Nomeadamente, os detidos e assassinados como os profissionais  da agência Reuters ou Jamal Khashoggi.

 

 

Relacionadas

Khashoggi e jornalistas detidos eleitos como Personalidade de Ano 2018 pela ‘Time’

“Por correrem grandes riscos ao perseguir as maiores verdades, pela jornada imperfeita mas essencial pelos factos que são centrais para o discurso civil, por falarem e divulgarem, os guardiões – são a Personalidade do Ano da TIME”, justifica a revista.
Recomendadas

Prémio Nobel da Literatura atribuído à escritora francesa Annie Ernaux

A Academia Sueca galardoou a autora pela “coragem e acuidade clínica com que descortina as raízes, os estranhamentos e os constrangimentos coletivos da memória pessoal”.

Exposição no Museu da Marinha celebra a amizade entre Alberto I do Mónaco e Dom Carlos I

No âmbito das comemorações do centenário do desaparecimento do Príncipe Alberto I do Mónaco, o Museu de Marinha de Lisboa irá acolher uma exposição organizada pelo Comité Albert Ier – 2022. Estará patente ao público a partir de dia 15. A inauguração, na véspera, conta com a presença do atual Príncipe do Mónaco, Alberto II.

“Trair e Coçar é só começar” vai ter dois ensaios solidários

O público português tem a oportunidade de assistir aos últimos ensaios antes da grande estreia e apoiar, assim, duas associações de solidariedade.
Comentários