Mexia: EDP Renováveis focada nas “oportunidades de crescimento”

A EDP Renováveis aumentou o seu portefólio em 720 megawatts (MW) no primeiro semestre, com a nova potência a contribuir com 71 milhões de euros para os resultados da companhia.

A EDP Renováveis está focada nas “oportunidades de crescimento”,  garante o presidente do grupo EDP.

A EDP Renováveis lucrou mais 147% para 343 milhões de euros no primeiro semestre face a período homólogo. O disparo no resultado da elétrica aconteceu com a ajuda do impacto positivo do aumento da potência da companhia, que permitiu arrecadar mais 71 milhões em relação a 2018.

Apesar de o vento ter soprado menos entre janeiro e junho deste ano, a entrada de novas centrais no portefólio permitiu a subida de três dígitos dos lucros.

“Num semestre com fracos recursos eólicos, mantivemos o foco no aumento da capacidade de produção renovável e nas oportunidades de crescimento que nos permitam continuar a liderar a transição energética”, disse António Mexia numa nota enviada ao Jornal Económico.

“Estes resultados refletem a capacidade de execução da EDP na estratégia de crescimento, em conjunto com a rotação de ativos na plataforma das renováveis, tal como nos comprometemos na apresentação do plano estratégico para os próximos anos”, destacou o presidente do grupo EDP.

A EDP Renováveis aumentou o seu portefólio em 720 megawatts (MW) no primeiro semestre: 318 MW na América do Norte, 266 MW na Europa e 137 MW no Brasil.

A elétrica construiu um total de 116 MW até junho, todos na Europa: 50 MW em Itália, 47 MW em Portugal e 19 MW em França.

A companhia diz que já tem assegurados 46% dos 7 gigawatts de nova potência renovável que planeia construir até 2022.

A elétrica também fez um ponto de situação sobre a sua parceria com os franceses da Engie para a energia eólica marítima. Dos cinco a sete gigawatts que esta parceria prevê construir até 2025, 1,5 gigawatts já estão operacionais ou em construção.

Em relação à venda de ativos, a produtora de energia verde prevê vender 800 milhões de euros em ativos no segundo semestre deste ano. Recorde-se que a elétrica tem uma meta de alienações no valor de 4 mil milhões de euros até 2022.

 

Lucros da EDP Renováveis disparam 147% no primeiro semestre

Recomendadas

SAD do Sp. Braga com resultado positivo de 3,1 milhões de euros na época passada

Relativamente ao exercício financeiro que terminou a 30 de junho deste ano, que ainda não refletem a venda do passe futebolístico do defesa central David Carmo (transferência fechada para o FC Porto na ordem dos 20 milhões de euros), a SAD dos bracarenses destaca que este foi um período “pautado por múltiplos constrangimentos associados à pandemia”.

Sonaecom rasga acordo com Isabel dos Santos

“À Sonae passa a ser imputada uma participação na NOS de cerca de 36,8% do capital social e dos direitos de voto nessa sociedade”, detalha a empresa liderada por Cláudia Azevedo.

Toyota Caetano Portugal com lucros de 7,3 milhões no semestre

Em comunicado à CMVM, a Toyota Caetano Portugal diz que os resultados líquidos consolidados ascenderam a 7,3 milhões de euros, o que compara com 11,7 milhões em dezembro de 2021 e com 2,98 milhões em junho de 2021.
Comentários