“Democratização das tecnologias será indispensável para que nenhum país ou cidadão fique para trás”, diz Siza Vieira

Durante o discurso na assinatura do memorando de entendimento com a Amazon Web Services, Siza Vieira frisou que sem a tecnologia de que Portugal dispõem “ficaríamos limitados” e recordou que em tempos de pandemia o armazenamento e tratamento de dados tem tido um papel importante.

Cristina Bernardo

O Estado português assinou esta quarta-feira, 16 de dezembro, um memorando de entendimento com a Amazon Web Services de forma a impulsionar a transição digital do país e durante o evento o ministro do Estado Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira sublinhou a importância das tecnologias nas nossas vidas.

“Na União Europeia e no nosso país definimos as necessidades de desenvolver ferramentas e disponibilizá-las a todas as organizações e a todos os cidadãos em matérias diversas como inteligência artificial, computação avançada ou computação em nuvem, porque temos todos a consciência de que na economia moderna, na sociedade do século XXI a disseminação, a democratização destas tecnologias será indispensável para que nenhum país, nenhuma região ou cidadão fique para trás”, frisou Siza Vieira.

Para reforçar a importância da tecnologia no quotidiano, Siza Vieira descreveu como poderia ser a vida se não fosse possível recorrer aos dispositivos tecnológicos. “Para aqueles que estão menos familiarizados com as oportunidades que estas tecnologias oferecem naquilo que seria uma cidade moderna ou uma vida moderna se cada casa, se cada empresa, se cada ministério tivesse que dispor do seu próprio gerador de eletricidade em vez de estar a comprar eletricidade à rede que produz da forma mais eficiente”.

“Imaginem o que era se cada um de nós tivesse de comprar e ter em sua casa um gerador a diesel ou a gasolina para produzir eletricidade que necessitamos quando precisássemos de aumentar as nossas necessidades, o nosso consumo de energia”, explicou Siza Vieira completando que “ficaríamos limitados pelo pequeno aparelho que teríamos comprado a pensar naquilo que é a nossa rotina”.

A Covid-19 não ficou esquecida no discurso do ministro da Economia que salientou a importância da tecnologia em tempos de pandemia. “Um excelente exemplo daquilo que foi a capacidade de utilizar estar tecnologias e do potencial que elas oferecem foi o súbito crescimento das necessidades de armazenamento processamento e tratamento de dados que muito recentemente conhecemos em todo o mundo por causa da pandemia da covid-19”, recordou Siza Viera.

“Aquilo que foi as necessidades de um momento para o outro começarmos a relacionarmos com cidadãos com clientes com colaboradores, de um momento para o outro de uma dimensão muito pequena para um numero muito grande de pessoas com quem se comunicava não seria possível sem a escalabilidade que as soluções de computação permitem”, lembrou o governante.

Relacionadas

Siza Vieira reitera preocupação com o nível de litigância em torno do 5G, mas alerta que Governo não tem competência para intervir

“Encaro com preocupação a situação que está em causa, é uma área que é absolutamente fundamental para o nosso país. Por isso, não é positivo que um leilão esteja rodeado de tanta controvérsia. Mas o Governo não tem competência para intervir nesta matéria”, disse o ministro da Economia esta sexta-feira no Parlamento.

Pedro Siza Vieira: “Deixar cair a TAP era como deixar desaparecer a Autoeuropa ou pior”

Em debate no Parlamento, Pedro Siza Vieira considerou que a TAP é uma empresa estratégia e “uma das maiores exportadoras nacionais”, que contribui “muito” para o emprego qualificado e é “crítica” para o futuro da economia portuguesa.

Siza Vieira diz que aumento do salário mínimo não será compensado com uma isenção da TSU para as empresas

“Ao mesmo tempo sabemos que as empresas estão numa situação muito difícil. Por isso, é que lhes estamos a dirigir muitos apoios. Atribuímos um apoio adicional às empresas relacionado com este aumento mas não é uma isenção da TSU”, garantiu o Ministro da Economia esta sexta-feira no Parlamento.
Recomendadas

FMI estima que a espiral de salários-preços ainda é um “risco limitado”

A ausência de uma espiral preços-salários não deve levar os líderes a não agirem para combater a inflação persistente, considera ainda o Fundo Monetário Internacional.

Compra de carros de luxo pela TAP “é um problema de bom senso”, diz Marcelo Rebelo de Sousa

“Já falei em relação a várias entidades públicas no passado e em relação à distribuição de dividendos e em relação aos salários e entendo que quando se está num período de dificuldade deve fazer-se um esforço para dar o exemplo de contenção”, defendeu hoje Marcelo Rebelo de Sousa.

Albergaria investe 3,7 milhões de euros na zona industrial para captar investimento e criar emprego

O município “tem realizado um forte investimento no desenvolvimento económico, dinamizando o sector empresarial e a economia local” nos últimos anos, segundo António Loureiro, Presidente da Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha.
Comentários