É possível conseguir um crédito enquanto ENI?

Conseguir um crédito enquanto ENI tem muito que se lhe diga, mas não é motivo para dramas. Descubra quais são os créditos para si e como o obter.

Habitação, automóvel, equipamentos. Enquanto Empresário em Nome Individual (ENI), as necessidades de capital são mais do que muitas, mas esbarram muitas vezes na relutância das instituições financeiras em conceder crédito. A incerteza faz com que os Bancos sejam mais exigentes quando comparado com os trabalhadores por conta de outrem.

Ainda assim, há várias soluções de crédito para ENI e diversas formas de aumentar as probabilidades de aprovação. Saiba tudo neste artigo do ComparaJá.pt.

O que é um Empresário em Nome Individual ou ENI?

Um Empresário em Nome Individual (ENI) é alguém que constitui uma empresa da qual é o único titular. Esta é uma forma jurídica simples e adequada para iniciar um pequeno negócio. O Empresário em Nome Individual é um trabalhador independente, tendo de passar recibos verdes, uma vez que não trabalha por conta de outrem, mas sim por conta própria.

Entre as principais vantagens de ser ENI está a simplicidade de processos: constituir e encerrar a empresa é mais fácil do que no caso de outro tipo de empresas. Por outro lado, não é necessário capital inicial. Como o Empresário em Nome Individual responde sempre pelas dívidas da empresa e não existe um montante mínimo obrigatório estabelecido por lei para constituir este tipo de negócio.

Apesar de esta agilidade ser vantajosa no momento de se estabelecer como ENI, contribui para a perceção de maior incerteza e risco por parte das instituições bancárias no momento de conceder empréstimos. Ainda assim, há uma vasta oferta de produtos orientados a pessoas nesta situação.

Que tipo de empréstimos pode obter enquanto ENI?

São vários os empréstimos que pode conseguir enquanto ENI. Abaixo pode ver diversos exemplos de financiamento que podem ser aprovados mesmo que se encontre nessa situação profissional.

Financiamento de expansão, modernização e de desenvolvimento

Uma das possibilidades de crédito é um financiamento de expansão, modernização e de desenvolvimento de atividades. Este tipo de financiamento pode ser obtido nas principais instituições nacionais e normalmente vem com um plano de amortização elaborado em função das necessidades da empresa e do investimento.

Financiamento para compra de equipamentos

Outro tipo de crédito direcionado especificamente a ENI está relacionado com a aquisição de equipamentos ou outras componentes de investimento, necessários ao lançamento e desenvolvimento de pequenos negócios.

Crédito automóvel

Se é trabalhador independente, pode conseguir financiamento para o seu automóvel de serviço. Para isso, deve subscrever um Crédito Automóvel, o que pode exigir uma análise mais rigorosa do que para trabalhadores dependentes, ou mesmo para outro tipo de empresas.

Mas isso não significa que não consiga financiamento. Consulte o nosso comparador e descubra qual a solução mais indicada para as suas necessidades.

Apoio à criação de empresas

Se ainda não se estabeleceu como ENI, mas pretende fazê-lo, pode candidatar-se a um financiamento para a criação de empresas ou criação do próprio emprego. As principais instituições financeiras têm linhas específicas para apoiar o empreendedorismo e a criação de empresas de pequena dimensão que gerem emprego e contribuam para a dinamização das economias locais.

Na maioria dos casos, o crédito tem condições favoráveis, desde que esteja inscrito nos serviços de emprego, tenha 35 anos e nunca tenha exercido atividade profissional por conta de outrem ou por conta própria.

Crédito habitação

Se é ENI pode pedir um crédito habitação como qualquer outro particular. No entanto, há uma importante diferença nos critérios para aprovação. Se duas pessoas pedirem o mesmo valor emprestado e tiverem exatamente as mesmas condições, o banco irá pedir mais garantias a um trabalhador independente do que a um trabalhador por conta de outrem.

Isto porque ter um contrato de trabalho é para os bancos um sinal de garantia. Além disso, existe um fator muito importante a ter em consideração. Quando se é trabalhador independente, os rendimentos auferidos são calculados em termos parciais. Ou seja, não é tido em consideração 100% do rendimento auferido, mas sim 70%. Ou seja, mesmo que um trabalhador a recibos verdes ganhe 1.000€ por mês, só são contabilizados 700€.

Há ainda bancos que nem sequer consideram os rendimentos do titular que é trabalhador independente. Por exemplo, se num casal que pede um empréstimo, uma pessoa for profissional independente e outra for trabalhador efetivo, o único rendimento considerado por alguns bancos para o cálculo da taxa de esforço é o do trabalhador efetivo.

Por este motivo, o acesso ao crédito habitação para ENI é particularmente desafiante, mas não é impossível.

O que ter em conta na hora de pedir um empréstimo enquanto ENI?

Se está seriamente a pensar pedir um empréstimo há várias formas de aumentar as probabilidades de sucesso. Do número e tipologia de titulares até às garantias apresentadas, tudo conta desde o momento em que faz o pedido até ter o esperado “carimbo” de aprovação. Estas são as 6 dicas principais a ter em conta.

1. Defina um segundo titular

Quando se trata de um pedido de empréstimo por parte de um profissional independente, as instituições valorizam sempre a apresentação de um segundo proponente, o que não acontece nos casos de trabalhadores efetivos por conta de outrem.

Se for trabalhador independente, mas o seu cônjuge tiver um contrato de trabalho, pondere a possibilidade de o colocar como segundo titular do pedido de crédito. Assim, no caso de um ficar desempregado, o outro garantirá o pagamento da prestação, minimizando o risco de incumprimento.

2. Verifique o seu histórico de crédito

Antes da aprovação, os bancos analisam o seu mapa de responsabilidades de crédito. É este documento que resume o seu histórico com a banca e onde ficam registados eventuais incumprimentos. Antes de se candidatar a um empréstimo, verifique sempre o historial de crédito e, caso haja algum registo, procure limpá-lo.

Para além disso, um ENI com vários créditos e cartões de crédito, terá mais dificuldade em ver um novo pedido aprovado. Tente libertar-se de dívidas dos cartões de créditos e se tiver vários cartões, ainda que não estejam a uso, cancele alguns. Para o Banco, o facto de hoje não estarem em dívida, não significa que não venham a estar e o cancelamento de alguns cartões, diminui o potencial de endividamento.

3. Avalie a taxa de esforço

A taxa de esforço não é nada mais do que a percentagem do rendimento líquido da empresa ou agregado familiar, destinada ao pagamento das prestações de créditos. No fundo, ajuda a perceber qual é o rendimento que se tem disponível para fazer face às despesas do dia-a-dia após o pagamento das obrigações mensais com créditos previamente contraídos.

Divida a mensalidade prevista pelo empréstimo pela média mensal dos rendimentos dos últimos 12 meses. A taxa não deverá ser superior a 33% dos rendimentos e prova, junto de quem vai fazer o financiamento, que tem capacidade financeira para suportar este custo adicional.

Os documentos que melhor podem ajudar a aferir a sustentabilidade financeira ao longo do prazo de amortização do empréstimo são o último balanço assim como o plano de negócio com uma estratégia de crescimento.

4. Faça o trabalho de casa

A probabilidade de concessão do crédito aumenta se conseguir demonstrar uma boa preparação. Por isso, antes de visitar o banco, faça uma pesquisa sobre a oferta bancária que tem à disposição.
Para além disso, é importante reunir a informação específica solicitada pela instituição, que pode ser diferente em cada caso.

Esta documentação é fundamental para perceber o mérito do projeto de financiamento a que se candidata, e para associar a sua empresa a determinado perfil de risco. Há várias etapas no processo de aprovação e cada uma pode envolver pessoas, pelo que é importante contar com uma margem de tempo razoável para obter uma resposta.

5. Espere pelo momento certo

Se iniciou atividade como ENI há menos de dois anos, é pouco provável que consiga aceder a crédito, pelo menos sozinho. Isto porque, para o Banco, quer dizer que a empresa está numa fase embrionária, e o risco é mais elevado. Assim, se estiver no início, deverá aguardar mais algum tempo até ter no mínimo 2 anos completos de atividade.

6. Prepare garantias adicionais

Enquanto ENI, deve estar preparado para apresentar garantias ao banco que muitas vezes não são exigidas a um trabalhador por conta de outrem. É o caso de um fiador, a pessoa que se responsabiliza pelo pagamento do empréstimo ao banco, em caso de incumprimento.

Os familiares são os fiadores mais comuns, mas a instituição pode aceitar qualquer pessoa que acrescente segurança à operação. Outra alternativa será dar mais entrada do que o habitual.

Qualquer financiamento tem como base a confiança de que o valor será pago e quanto maior a confiança do Banco, mais fácil receber uma resposta positiva. Não se limite a fazer a simulação de crédito apenas no seu banco habitual, recorra a várias instituições e peça simulações para avaliar o seu caso.

Relacionadas

Como amortizar crédito à habitação e quais os custos?

Ao amortizar crédito à habitação, é necessário considerar os custos associados e que são referentes à comissão de reembolso antecipado. Saiba tudo.

Seis erros financeiros a evitar se vai comprar um imóvel

A procura para comprar um imóvel pode ser morosa e complicada, devido à grande quantidade de questões que se deve ter em conta.

Crédito à habitação recusado pelo banco? Estes são os cinco motivos mais comuns

Nalguns casos, os bancos podem recusar-se a conceder crédito para a compra de casa. Descubra aqui as situações em que isso pode acontecer.

Sabia que pode devolver um crédito pessoal?

Se contratou um crédito pessoal de que afinal não precisa ou se encontrou outro com melhores condições, descubra como o pode devolver.

Do spread à TAEG. Se vai contratar um crédito habitação, conheça estes conceitos

Vai contratar um crédito habitação e precisa de perceber todas as variáveis que podem determinar a mensalidade do empréstimo? Manuel Vieira, responsável pela equipa de gestores de cliente do ComparaJá, detalha todos os conceitos que necessita saber neste explicador em colaboração com o Economize.

Quais as fases de aprovação de um crédito para comprar casa?

Um processo de financiamento à habitação pode prolongar-se por mais de três meses até estar concluído. Fique a conhecer as cinco etapas de aprovação.
Recomendadas

Governo anuncia prolongamento de apoio extraordinário de 60 euros a famílias carenciadas

A Deco aplaude a manutenção deste apoio, mas alerta que 60 euros é um montante claramente insuficiente perante os valores que uma família gasta em média nas suas compras mensais, sobretudo neste cenário de aumento de preços.   

Vai de férias? 20 dicas para se proteger a si e à sua casa

Portugal está entre os países mais seguros do mundo, mas o número de furtos aumentou no ano passado, em relação ao ano anterior. Com a chegada do verão, grande parte da população vai para férias e nunca é demais precaver-se contra eventuais furtos.

DECO questiona porque Espanha reduz IVA para 5% e Portugal não

“O pagamento da fatura de eletricidade e gás tem um peso considerável no orçamento das famílias portuguesas, pelo que consideramos que a redução do IVA é uma medida adequada, necessária e urgente”, escreve a DECO.
Comentários