EDP apresenta nova imagem dois anos depois de Miguel Stilwell chegar à liderança (com áudio)

“We choose earth. Nós escolhemos a terra”, é o novo lema da companhia que muda a imagem 11 anos depois e dois anos depois da chegada de Miguel Stilwell de Andrade à liderança da energética portuguesa. Para trás, ficou o vermelho que marcou a imagem da empresa durante vários anos.

A EDP apresentou hoje a sua nova imagem gráfica, 11 anos depois da última grande alteração e dois anos depois de Miguel Stilwell de Andrade ter assumido as rédeas da elétrica portuguesa.

“Temos uma nova marca que reflete quem somos como empresa. Uma companhia que assumiu novos desafios, que quer ser global”, disse hoje Miguel Stilwell de Andrade, destacando que o logótipo reflete a ambição da EDP de ser 100% renovável até 2030. A empresa não revelou o valor do investimento.

A apresentação teve lugar em Lisboa perante 150 trabalhadores da empresa e via vídeo para os restantes 13 mil trabalhadores nos 28 mercados onde está presente.

Na altura da última grande mudança gráfica, a empresa ainda era detida em um quinto pelo Estado português, e o país preparava-se para ser resgatado pela troika que obrigou à venda da participação. A China Three Gorges (CTG) foi a escolhida por 2,7 mil milhões de euros.

Mais de 11 anos depois tudo mudou na empresa: António Mexia saiu (devido ao processo dos CMEC) e entrou Miguel Stilwell, que enfrentou um primeiro ano turbulento com a polémica da venda das barragens no Douro; os chineses tentaram aumentar o seu poder na companhia e falharam; o carvão ficou para trás e as renováveis agora dominam.

“Uma visão, uma voz, uma companhia global”, disse, por sua vez, a administradora Vera Pinto Pereira sobre o logótipo. A nova identidade visual representa a “circularidade, dinamismo, flexibilidade, confiança, robustez, movimento e transparência no centro da nossa governança”, acrescentou.

“We choose earth. Nós escolhemos a terra”, é o novo lema da empresa.

A mudança de imagem vai “avançar numa primeira fase internamente e de forma progressiva, num processo que vai ocorrer até 2023”.

A agência Havas vai ser a responsável pela companhia de posicionamento institucional.

“As cores escolhidas – verde, azul e roxo – representam a sustentabilidade da natureza, as energias limpas, a tecnologia e as pessoas e alinham-se com o objetivo da EDP de ser neutra em carbono no final desta década, não deixando ninguém para trás nesta transição. Esta identidade foi desenvolvida por uma equipa multicultural da agência de design internacional Pentagram, com conhecimento sobre os mercados onde a EDP está presente”, é assim que a EDP explica a nova imagem.

 

Recomendadas

PremiumAuditoria ao Novobanco há meses à espera do Parlamento

A terceira auditoria da Deloitte ao Novobanco foi entregue aos deputados em abril, mantendo-se como confidencial de forma provisória. Desde então, o tema não voltou a ser discutido.

Operação da TAP em níveis de 2019 mas conflitos laborais ameaçam verão

As dificuldades nas negociações entre a TAP e os sindicatos, numa altura em que o tráfego está próximo de níveis de 2019, ameaçam perturbar a operação no verão, com as estruturas a darem indicações de que poderão convocar greves.

Lufthansa vê fim da interrupção de voos só a partir de 2023

A principal companhia alemã já anunciou o cancelamento de 2.200 ligações internas e europeias em julho e agosto, além das 900 divulgadas no início deste mês.
Comentários