Eleições do Brasil: Lula vence na Austrália e Nova Zelândia, Bolsonaro vence em Timor-Leste

Segundo dados obtidos pela Lusa, Lula conseguiu 701 votos contra 223 em Jair Bolsonaro na votação na Austrália e venceu na Nova Zelândia com 328 votos, contra 71 votos em Jair Bolsonaro.

Lula e Jair Bolsonaro – Evaristo Sa/AFP/Marcos Corrêa/PR

Lula da Silva foi o candidato às Presidenciais brasileiras mais votado na Austrália e na Nova Zelândia, enquanto o atual chefe de Estado, Jair Bolsonaro, repetiu a vitória de 2018 em Timor-Leste, segundo resultados provisórios.

Os resultados do escrutínio nos três países foram afixados, como ocorre normalmente, nos locais de votação depois de concluído o escrutínio.

Segundo dados obtidos pela Lusa, Lula conseguiu 701 votos contra 223 em Jair Bolsonaro na votação na Austrália e venceu na Nova Zelândia com 328 votos, contra 71 votos em Jair Bolsonaro.

Em Timor-Leste, e tal como ocorreu em 2018, Jair Bolsonaro foi o candidato mais votado pelos 65 eleitores (de entre 91 registados) que se deslocaram hoje à Embaixada do Brasil em Díli.

Bolsonaro obteve 37 votos, contra 18 em Lula da Silva, seis em Ciro Gomes, três em Simone Tebet e um em Felipe d’Avila.

Nas eleições de 2018, Bolsonaro já tinha ganhado com ampla vantagem, obtendo 41 votos contra apenas dois em Fernando Haddad (na primeira volta) e 27 votos na segunda volta contra os onze de Haddad.

Recomendadas

Diplomatas norte-americanos advertem Biden contra ultradireita israelita

Dois diplomatas históricos dos Estados Unidos advertem a administração Biden que deve defender-se de um eventual excesso de apoio ao próximo governo israelita, onde com certeza pontificarão partidos da extrema-direira religiosa.

Orban acusa UE de bloquear fundos à Hungria por “razões políticas”

Na quarta-feira, a Comissão Europeia tinha recomendado o congelamento de mais de 13 mil milhões de euros de fundos europeus destinados à Hungria, em resposta aos problemas de corrupção identificados neste país.

Portugal “acompanha” declaração condenatória da UE sobre eleições na Guiné Equatorial

“Com a proclamação dos resultados definitivos das eleições presidenciais, legislativas e municipais pelo Tribunal Constitucional da República da Guiné Equatorial, conclui-se o processo eleitoral. A este respeito, Portugal acompanha as declarações emitidas pelas organizações que integra – CPLP e UE”, fez saber o Ministério dos Negócios Estrangeiros numa nota hoje divulgada no Portal Diplomático.
Comentários