Eleições no Brasil. Bolsonaro aproxima-se de Lula nas sondagens (com áudio)

A diferença entre os dois principais candidatos é agora mais curta do que em maio, mas Lula mantém-se na frente a pouco mais de um mês das eleições, de acordo com um estudo publicado hoje.

Lula e Jair Bolsonaro – Evaristo Sa/AFP/Marcos Corrêa/PR

Uma nova sondagem sobre as eleições no Brasil, publicada esta terça-feira indica que o atual presidente, Jair Bolsonaro está agora mais próximo da liderança, que continua a pertencer ao antigo presidente e agora candidato Lula da Silva, quando falta pouco mais de um mês para o ato eleitoral.

De acordo com a mais recente sondagem da CNT/MDA, se a primeira volta das eleições fosse hoje, Lula teria 42,3% dos votos, enquanto Bolsonaro ficava com 34,1%. Valores que dão uma vantagem de 8,2 pontos percentuais (p.p.) ao líder da esquerda, mas a margem é mais reduzida do que em maio, quando a mesma fonte apresentou resultados de 40,6% e 32%, respetivamente (8,6% p.p. de diferença).

Na segunda volta, Lula venceria com 50,1% dos votos, para 38,8% de Bolsonaro. Um diferencial de 11,3 p.p., que compara com os 14 p.p. registados no mês de maio.

“A diferença entre os dois principais candidatos, Lula e Bolsonaro, continua a cair”, referiu o diretor da MDA, Marcelo Souza, destacando um aspeto que pode ser decisivo. É que a percentagem de eleitores que rejeitam Bolsonaro bate a dos que rejeitam Lula da Silva, com uma margem de 10 p.p.

A mesma sondagem indica que Lula tem maior força entre os brasileiros que auferem menos do dobro do valor de dois salários mínimos e com escolaridade até ao nono ano. Bolsonaro, por seu turno, tem maior confiança da parte do eleitorado que recebe um valor superior à soma de dois salários mínimos, com um nível de escolaridade considerado médio ou alto.

Da sondagem pode ainda concluir-se que as questões que mais preocupam os votantes são os altos preços dos produtos alimentares e dos combustíveis, que têm sido visados por Bolsonaro, assim como o desemprego, que Lula da Silva quer resolver com a criação de empregos na indústria.

Os brasileiros vão às urnas no próximo dia 2 de outubro, para eleger o próximo presidente do país.

Recomendadas

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

Impacto das sanções dos Estados Unidos prejudica cooperação com Portugal, diz embaixador iraniano

Mortza Damanpak Jami afirmou que até 2017, as relações e trocas comerciais entre os dois países ascendiam a 65 milhões de euros, valor que, depois das sanções devido ao programa nuclear iraniano, tem vindo a descer, situando-se em 2021 em torno dos 12 ou 13 milhões de euros.
Comentários