Embaixador russo morto a tiro exigiu pedido de desculpas turco há um ano

“Por Aleppo”, os gritos do atirador que assassinou o Embaixador russo, na Turquia, ganham agora novos contornos. Há exatamente um ano atrás, o Andrey Karlov fez declarações sobre a situação síria.

O Embaixador afirmou na altura que para ultrapassar a tensão criada pelo bombardeiro russo na Síria, a Turquia deveria apresentar desculpas pela morte dos militares; encontrar e punir os culpados; e indemnizar a Rússia.

Acrescentou ainda que embora a Turquia se pronuncie a favor do diálogo, também fez declarações que não contribuem para a aproximação. Ainda na altura, Valentina Matvieko (presidente do Conselho Federal Russo), expressou confiança que chegaria a altura em que as autoridades turcas realizariam uma avaliação do sucedido e apresentariam desculpas à Rússia.

Por seu lado, Erdogan reforçava na altura o seu desejo de continuar a desenvolver uma cooperação estratégica com a Rússia, atribuindo o incidente a um “erro dos pilotos” russos.

Relacionadas

Morreu o embaixador russo baleado em Ancara

Diplomata foi alvejado nas costas quando discursava numa exposição na capital do país.
Recomendadas

São Tomé/Eleições: Observadores da CPLP dizem que votação correu “acima das expetativas”

No total, onze partidos e movimentos, incluindo uma coligação, concorrem este domingo aos 55 lugares da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe.

Bancos libaneses reabrem portas na segunda-feira só para serviços específicos

A decisão de reabrir, embora com limitações “a determinar por cada banco”, de acordo com a declaração da Associação Bancária, foi atribuída pela associação à “necessidade de garantir a continuidade dos serviços aos clientes” e de “assegurar os salários dos setores público e privado”.

Polícia usa gás lacrimogéneo para impedir manifestantes de chegar a embaixada do Irão em Paris

No sábado já tinha decorrido um outro protesto em Paris, na Place du Châtelet, que também contou com centenas de participantes.
Comentários