PremiumEmpresas orientadas para os dados precisam da ‘cloud’

Abel Aguiar, diretor executivo de Canal e Parceiros da Microsoft Portugal, e Sara Candeias, diretora de Sistemas de Informação, Dados e Analítica do Banco Montepio, defendem que os dados são um diferencial de competitividade.

As empresas data-driven, com uma gestão orientada para os dados, estão mais aptas para enfrentar a incerteza e volatilidade política, económica e social, porque conseguem antecipar tendências e reinventar-se em tempo recorde caso haja um bloqueio nas cadeias de abastecimento ou mudança legislativas.

Chegar a esse estatuto, o de uma empresa que molda o negócio com base na informação, passa por cincos eixos: estratégia executiva, cultura, tecnologia, modelo operacional e casos de uso.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Sensei quer ser maior player mundial em lojas autónomas – Vasco Portugal

Conferência “Stratups: o motor de inovação do mundo corporate” contou também com a participação de Ana Casaca, Global Head of Innovation da Galp; João Diogo, Head of Retail da Galp; e Diogo Pinto Sousa, diretor-executivo para Small Medium and Corporate Markets da Microsoft Portugal.

Galp aposta na inovação colaborativa e já gere um portefólio de 75 milhões de euros

Ana Casaca, Global Head of Innovation da Galp, e João Diogo, Head of B to C da Galp, falavam durante a conferência “Stratups: o motor de inovação do mundo corporate”, promovida pela Microsoft Portugal e da qual o Jornal Económico é media partner.

Crescimento do empreendedorismo é oportunidade para criar marcas globais – Diogo Pinto Sousa

Conferência “Startups: o motor de inovação do mundo corporate”, promovida pela Microsoft Portugal e da qual o Jornal Económico é media partner, debateu a importância das startups para as grandes empresas e a forma como estas as integram no seu processo de inovação.
Comentários