EPAL diz que vai produzir energia 100% renovável até 2025

Empresa explica que a produção será feita através da instalação de centrais de produção de energia hidroelétrica nas condutas de água, eólica e fotovoltaica, naquela que considera ser “uma verdadeira aposta na sustentabilidade ambiental e económica, reduzindo a exposição da empresa ao mercado energético”.

A Empresa Portuguesa de Águas Livres (EPAL) quer tornar-se energicamente auto-sustentável e anunciou que até 2025 irá produzir energia 100% renovável, através da instalação de centrais de produção de energia hidroelétrica nas condutas de água, eólica e fotovoltaica.

“A EPAL tem como objetivo, até 2025, tornar-se o primeiro operador mundial do setor da água energeticamente neutro, reforçando a sua eficiência energética, produzindo energia elétrica a partir de fontes renováveis, resultando na eliminação 38 mil toneladas de emissões de CO2”, anunciou a empresa em comunicado, salientando a que a estratégia está em linha com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável nas Nações Unidas e o Roteiro Nacional de Baixo Carbono 2050.

A empresa considera que o projeto irá permitir atingir a neutralidade de emissões, com a produção auto-sustentável, que irá retirar “ainda partido do storage nos reservatórios existentes”, naquela que consideram ser “uma verdadeira aposta na sustentabilidade ambiental e económica, reduzindo a exposição da empresa ao mercado energético”.

“Importante sublinhar que o setor das águas é responsável por um consumo de energia elétrica superior a 1000 GWh/ano, valor correspondente a mais de 2 % do consumo total de energia elétrica do País”, explica a empresa, exemplificando que o grupo Águas de Portugal consome cerca de 700 GWh/ano, dos quais 140 GWh/ano são consumidos na EPAL, “representando cerca de 0,3% do consumo nacional de energia elétrica”.

Recomendadas

“Ainda este ano haverá navios elétricos a navegar no Tejo”, diz ministro do Ambiente

O primeiro navio elétrico tem chegada marcada para o primeiro trimestre de 2023, sendo que três outros barcos devem chegar até ao fim do ano. O primeiro carregador chega entre junho e julho.

Serralves apresenta estratégia para a neutralidade carbónica esta semana

A apresentação vai decorrer no dia 10 de fevereiro e conta com a presença do ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro.

Cerca de 3,6 mil milhões de pessoas estão vulneráveis ao aquecimento global

Se a situação não for invertida, em 20 anos ultrapassaremos os 1,5 ºC, o que provocaria a subida do nível do mar, mais chuvas e secas extremas, ondas de calor e temperaturas extremas.
Comentários