À procura de emprego? Tenha cuidado com falsas propostas anunciadas na Internet

As ofertas duvidosas circundam pelas redes sociais e/ou podem chegar ao correio eletrónico através de remetentes de desconhecidos, até mesmo em sites de oferta de emprego, sendo que estas propostas, na sua maioria parecem credíveis.

A procura de emprego pode ser um momento muito inquietante na vida do consumidor e normalmente o anseio por uma resposta breve pode conduzir a decisões comprometedoras. O mundo da internet permite a pesquisa mais fácil e rápida por emprego, mas o cidadão tem de estar atento aos riscos.

As ofertas duvidosas circundam pelas redes sociais e/ou podem chegar ao correio eletrónico através de remetentes de desconhecidos, até mesmo em sites de oferta de emprego, sendo que estas propostas, na sua maioria parecem credíveis.

Face à instabilidade financeira e social que se vive o cidadão deve redobrar a sua atenção, tendo em conta que o número de casos de esquemas fraudulentos tem aumentado e, em alguns, escondem-se mesmo atrás de ofertas de emprego.

Como pode então o consumidor proteger-se destas falsas oportunidades de emprego? Deixamos-lhe algumas dicas:

  1. Muita urgência: “Entrada imediata, com poucas vagas. Candidate-se já” – anúncios com este conteúdo levam os consumidores a responderem rapidamente, sem questionarem a veracidade daquela oferta. Saiba que maior parte dos empregadores dão um tempo razoável para a apresentação das candidaturas;
  2. Ofertas demasiado boas: Lembre-se do provérbio “quando a esmola é grande, o pobre desconfia”;
  3. Trabalhe a partir de casa: Embora hoje em dia o teletrabalho seja uma realidade em muitos empregos, tenha especial atenção a este género de oferta, já que muitos casos são fraudulentos;
  4. Custos para o recrutamento: exigência de pagamento para processos burocráticos de “papelada” ou até mesmo para formação ou exames de admissão, por norma, são esquemas fraudulentos;
  5. Falta de informação: ausência de dados específicos descrevendo a função, os requisitos essenciais, a área geográfica do local de trabalho e os contactos do empregador deve levantar dúvidas;
  6. Requisitos demasiado vagos, passíveis de ser facilmente preenchidos por qualquer pessoa: desconfie;
  7. Erros ortográficos ou redação incorreta: desconfie;
  8. Recolha de informações confidenciais: solicitação de dados pessoais, como o número da conta bancária, é motivo para desconfiar;
  9. Registos feitos através de links: não clique em links de que desconhece a origem, provavelmente este será um esquema fraudulento.

Esteja atento e tome decisões ponderadas. Evite os impulsos.

Conte com o apoio da DECO MADEIRA através do número de telefone 968 800 489/291 146 520, do endereço eletrónico deco.madeira@deco.pt. Pode também marcar atendimento via Skype. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Linkedin e Youtube!

Recomendadas

Vai de férias? 20 dicas para se proteger a si e à sua casa

Portugal está entre os países mais seguros do mundo, mas o número de furtos aumentou no ano passado, em relação ao ano anterior. Com a chegada do verão, grande parte da população vai para férias e nunca é demais precaver-se contra eventuais furtos.

DECO questiona porque Espanha reduz IVA para 5% e Portugal não

“O pagamento da fatura de eletricidade e gás tem um peso considerável no orçamento das famílias portuguesas, pelo que consideramos que a redução do IVA é uma medida adequada, necessária e urgente”, escreve a DECO.

Dez dicas para poupar em tempo de férias

Com a ajuda da ‘Selectra’, ajudamos a planear o seu orçamento para que consiga aproveitar o melhor desta estação sem ter de gastar muito dinheiro, recorrendo a dez dicas que vão desde a utilização do esquentador à forma como deixa os seus aparelhos eletrónicos antes de ir de férias.
Comentários