Estados Unidos: dois mortos e treze feridos em tiroteio em Filadélfia

Numa mensagem divulgada na rede social Twitter, a polícia de Filadélfia pediu para se evitar a área e informou que várias pessoas foram feridas.

1249400249

Duas pessoas foram mortas a tiro e pelo menos treze ficaram feridas num tiroteio, na noite de sábado, 4 de junho, na cidade de Filadélfia, nos Estados Unidos da América, informaram as autoridades.

O departamento de polícia de Filadélfia respondeu aos relatos de uma pessoa armada numa grande multidão, cerca de meia noite, noticiaram diversos órgãos de comunicação social. Um agente chegou ao local e viu um homem a disparar contra a multidão, no centro da cidade. O agente disparou três tiros contra o atacante, indicou a polícia. Não é claro se o suspeito foi atingido.

Desconhece-se o estado dos feridos e nenhum agente foi ferido, acrescentou a polícia.

As autoridades disseram não ter feito detenções, mas recuperaram uma arma.

Numa mensagem divulgada na rede social Twitter, a polícia pediu para se evitar a área e que várias pessoas foram feridas.

Nenhuma informação adicional foi imediatamente disponibilizada.

Este ano e até ao dia 30 de maio, segunda-feira, foram registados, pelo menos, 206 homicídios em Filadélfia, reporta a Fox News.

Relacionadas

Pelo menos quatro mortos em tiroteio em centro hospitalar em Tulsa nos EUA

“Os agentes estão neste momento a passar por todos os quartos do edifício à procura de outras ameaças”, disse a polícia numa publicação na rede social Facebook. Tiroteio ocorre uma semana depois de um jovem de 18 anos ter matado 19 estudantes e duas professoras numa escola primária em Uvalde, no Texas.

Kamala Harris defende proibição de armas de fogo nos Estados Unidos

Poucas horas antes, o presidente norte-americano, Joe Biden, tinha garantido que, embora a tragédia não possa ser “ilegalizada”, é possível trabalhar para tornar o país mais seguro.

Biden lamenta “crise de fé” e desafia jovens contra divisão e ódio nos Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, lamentou este sábado a divisão e o ódio no país, que sofre uma “crise de fé” nas instituições, e desafiou os jovens a trabalharem para curar as feridas da nação.
Recomendadas

França nega “obstáculo” às exportações russas e vê “instrumentalização”

A presidência francesa defendeu hoje que não existe “obstáculo” às exportações de produtos agrícolas russos, considerando as críticas nesse sentido do chefe de Estado da Rússia, Vladimir Putin, uma tentativa de “instrumentalização política”.

EUA propõem Zelensky na cimeira do G20 se Putin também participar

Os EUA propuseram que o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, também participe na cimeira dos líderes do G20 se o seu homólogo russo, Vladimir Putin, aceitar o convite da Indonésia e comparecer na reunião, marcada para novembro em Bali.

Líder da junta de Myanmar disposto a negociar com Suu Kyi após julgamento

O líder da junta no poder em Myanmar declarou-se hoje disposto a negociar pós-julgamento com a ex-dirigente Aung San Suu Kyi uma solução para a crise desencadeada no país pelo golpe de estado militar de 2021.
Comentários