Governo reforça prevenção dos fogos com entrega de 44 novas viaturas aos sapadores florestais

Nos próximos dois anos serão entregues mais 77 viaturas aos sapadores florestais. No mesmo período, serão criadas 200 novas equipas de sapadores florestais, com mais 1.000 efetivos.

O primeiro-ministro, António Costa, e o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, entregaram, neste fim-de-semana,  44 novas viaturas às equipas de sapadores florestais mais antigas do País, de 41 concelhos, num investimento de 2,5 milhões de euros.

Na Lousã, o primeiro-ministro sinalizou ontem  que o Governo vai “«todos os anos, fazer o reequipamento que aqui iniciámos das equipas mais antigas”, com a entrega de 35 viaturas em 2018 e de 42 viaturas em 2019, num total de mais 77 viaturas nos próximos dois anos. António Costa referiu ainda que, no mesmo período, serão criadas 200 novas equipas de sapadores florestais, com mais 1.000 efetivos.

“Na proteção da floresta, os sapadores florestais têm um papel crescentemente importante porque são elementos essenciais para aproximar a prevenção do combate” a incêndios, sublinhou ainda o primeiro-ministro, lembrando que outro papel relevante dos sapadores florestais consiste no “trabalho que desenvolvem ao longo do ano para a gestão do combustível, ordenamento da floresta, vigilância e primeira intervenção”.

Reforma da floresta, prevenção e combate a incêndios

António Costa realçou também que o principal aspeto da reforma da floresta é “dotá-la de uma capacidade de viabilidade económica que permita fazer uma gestão que seja uma fonte riqueza para as populações”.

O primeiro-ministro alertou  que é preciso apostar na prevenção no combate aos incêndios, “para que, no próximo ano, não se repitam as tragédias” que marcaram 2017, ou seja, os incêndios de Pedrógão Grande (junho) e de dia 15 de outubro.

António Costa lembrou que o Governo iniciou a reforma da floresta “em outubro de 2016, no trabalho com a Assembleia da República para a sua aprovação, e que está agora no terreno, permitindo concretizar uma ambiciosa intervenção”.

Recomendadas

OCDE. Escassez de energia pode levar a recessão na Europa e aumentar inflação em 1,5 pontos percentuais

Uma escassez de energia mais grave, especialmente de gás, poderia aumentar a inflação da zona euro em 1,5 pp (pontos percentuais) e reduzir o crescimento na Europa em mais de 1,2 pp, levando a uma recessão, alerta a OCDE.

OCDE mais pessimista para 2023 vê economia da zona euro crescer 0,3% e inflação de 6,2%

Nas previsões económicas intercalares divulgadas hoje, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) revela-se mais otimista sobre o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro deste ano, melhorando a estimativa em 0,5 pontos percentuais (pp.) face a junho, para 3,1%, mas cortou em 1,3 pp. a de 2023 para 0,3%.

OCDE mantém crescimento global deste ano de 3% mas corta o de 2023 para 2,2%

A OCDE manteve as perspetivas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) mundial deste ano em 3%, prevendo que as economias do G20 cresçam 2,8% (menos 0,1 ponto percentual (pp.) do que em junho).
Comentários