Exportações do Lidl Portugal representam 2% das exportações nacionais de produtos alimentares

“As exportações do Lidl Portugal representaram, em 2021, 2% das exportações nacionais de produtos alimentares para a União Europeia (um crescimento relevante face ao 1,2% de 2020), tendo sido criados, quase 4.600 empregos em Portugal, de forma indireta, com estas exportações”, segundo o estudo feito pela KPMG.

Segundo o “Estudo de Impacto das Exportações do Lidl na Economia Nacional”, realizado pela KPMG, em 2021, as exportações do Lidl Portugal representaram 2% do total das exportações nacionais de produtos alimentares para a União Europeia.

No total, foram exportados produtos portugueses para 29 países (dos 32, com presença Lidl na Europa) e, por cada um euro gasto em produtos destinados à exportação, foram gerados 1,87 euros na economia portuguesa, conclui o estudo.

“As exportações do Lidl Portugal representaram, em 2021, 2% das exportações nacionais de produtos alimentares para a União Europeia (um crescimento relevante face ao 1,2% de 2020), tendo sido criados, quase 4.600 empregos em Portugal, de forma indireta, com estas exportações – um aumento de 98 postos de trabalho face a 2020; 40% dos fornecedores referem que aumentaram o número de colaboradores devido às exportações com o Lidl”, avança o comunicado da empresa de retalho alimentar.

“Importante é também salientar que 82% das empresas exportadoras são PMEs e que 53% dos fornecedores que exportam através do Lidl foram introduzidos a novos mercados em 2021”, adianta o Lidl.

“Os fornecedores salientam também como o apoio do Lidl na exportação os ajudou”, refere o Lidl que lembra que 73% conseguiu um maior conhecimento das leis e regulação dos mercados de destino; 64%, uma maior adaptação dos produtos aos mercados de destino; 55%, um maior conhecimento dos processos chave que suportam a internacionalização; 27% com ajustes que aumentaram o valor de venda dos produtos.

Em 2021, o Lidl Portugal ajudou a exportar 22.000 toneladas de frutas e legumes, 67 milhões de unidades de padaria e pastelaria, 8.000 toneladas de legumes e leguminosas enlatados, 16.000 toneladas de snacks, lanches e merendas, 2.000 toneladas de peixe e conservas e ainda 5,2 milhões de litros de vinhos e licores, entre muitos outros produtos, para 29 países.

Relativamente a Frutas e Legumes, a diversidade de produtos exportados triplicou face a 2018, com 19 artigos a serem consumidos além-fronteiras, entre os quais Pera Rocha (‘produto-estrela’ com 11.300 mil toneladas exportadas), Melão, Melancia, Laranja, Limão, Nectarinas, Pêssego, Ameixa, Alperce, Couve-Coração e Abóbora, entre outros.

O estudo revela ainda que em 2021, o Lidl Portugal solidificou a exportação de ‘Fruta de Caroço’, com o início da Exportação de Pêssego, Ameixa e Alperce, que se junta à Nectarina, cuja exportação se iniciou em 2020.

No comunicado Bruno Pereira, Administrador de Compras do Lidl Portugal, diz que “os valores deste estudo realizado pela KPMG ilustram o nosso empenho em Portugal e a vontade de levar mais longe o que de melhor produzimos no nosso país, conquistando pela qualidade consumidores cada vez mais informados e exigentes de todos os lugares da Europa. Fazemo-lo em conjunto com os nossos fornecedores parceiros, com quem caminhamos lado a lado, abraçando os desafios inerentes que nos são colocados. Ficamos muito satisfeitos com estes números, que não deixam de ser um grande desafio para o futuro que, como é nosso hábito, estamos prontos para abraçar.”

Já para Pedro Silva, Diretor da KPMG Portugal, “o Lidl tem um papel bastante relevante na dinamização das exportações de um catálogo de produtos alimentares portugueses para diferentes mercados, contribuindo para um maior equilíbrio da balança comercial e para o desenvolvimento e aumento da competitividade da economia nacional e do emprego, designadamente junto das PME”.

Gonçalo Santos Andrade, Presidente da Portugal Fresh diz que “o setor das frutas, legumes e flores em Portugal vale hoje 3841 milhões de euros e representa cerca de 40% de todo o setor agrícola. Em 2021 as exportações ultrapassaram pela primeira vez a barreira dos 1.700 milhões de euros atingindo o valor mais alto de sempre (1731 milhões de euros). E até 2030 estimamos atingir 2.500 milhões de euros de exportações, o que significa um aumento de mais de 48% numa década”.

Neste estudo da KPMG, “reflete-se também que 91% dos fornecedores ajustaram as embalagens primárias, secundárias e terciárias (com medidas de redução e substituição de plástico entre outras) e 50% dos fornecedores implementaram medidas de sustentabilidade e sociais, com a obtenção de certificações Global GAP, GRASP e FSC. Hoje, nas lojas do Lidl em Portugal, mais de 700 produtos são certificados”.

Foram apresentados esta manhã, na Feira Nacional de Agricultura, em Santarém, os resultados do “Estudo de Impacto das Exportações do Lidl na Economia Nacional”, realizado pela consultora KPMG. Esta apresentação contou com a presença do Chefe de Gabinete da Secretaria de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, José Miguel Figueiredo, assim como do Presidente da CAP (Confederação dos Agricultores de Portugal), Eduardo Oliveira e Sousa, e do Presidente da Portugal Fresh, Gonçalo Santos Andrade.

 

Recomendadas

Afinal, que soluções existem para as empresas?

O Banco Português de Fomento lançou no início do ano os dois primeiros programas para apoiar a solvabilidade do tecido empresarial português. A banca está focada em aconselhar e montar as operações.

Presidente da Ryanair antecipa subida de preços nas ‘low-cost’

Michael O’Leary diz que o preço médio por bilhete deverá subir entre 10 a 20 euros nas viagens low-cost, que estão a tornar-se, segundo o mesmo, “demasiado baratas”.

Candidaturas selecionadas para o Consolidar conhecidas em julho

Os programas Recapitalização Estratégica e Consolidar têm gerado grande interesse, diz a presidente da comissão executiva do Banco Português de Fomento, Beatriz Freitas, ao Jornal Económico.
Comentários