Filinto Lima: “A Covid-19 também trouxe coisas positivas para as escolas. Não as podemos perder”

Nesta “Fast Talk” da JE TV, Filinto Lima, presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, considerou que a Covid-19 também trouxe alguns aspetos positivos para as escolas e que os mesmos irão manter-se no ano letivo que irá iniciar-se em setembro.

As escolas portuguesas vão iniciar o ano letivo de 2022/2023 sem quaisquer “medidas específicas para as escolas” no âmbito do combate à pandemia, como havia sido feito nos dois anos passados, confirmou o “Público” junto do Ministério da Educação.

Nesta “Fast Talk” da JE TV, Filinto Lima, presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, considerou que a Covid-19 também trouxe alguns aspetos positivos para as escolas e que os mesmos irão manter-se no ano letivo que irá iniciar-se em setembro.

Relacionadas

Ministério da Educação confirma que escolas vão começar ano letivo sem medidas de combate à covid-19 (com áudio)

“Não existem medidas específicas para as escolas, e de acordo com as orientações da DGS, compete a cada um o cumprimento de medidas não farmacológicas de prevenção da infeção, na perspetiva de saúde pública”, revela a tutela ao “Público”.
Recomendadas

Fenprof vai manifestar-se em frente à Assembleia da República a 4 de outubro

O evento tem hora marcadas para as 15h00 horas e contará com momentos musicais e intervenções sindicais.

Número de inscritos no ensino superior atinge máximo histórico com mais de 433 mil estudantes

“Este resultado mantém Portugal na trajetória necessária para atingir as metas de qualificação de longo prazo”, aponta o Governo.

BE quer que beneficiários de bolsa de estudo do Ensino Superior recebam um complemento extraordinário

O BE quer que os estudantes que recebem apoios obtenham um complemento extraordinário no valor anual de 50% do valor do indexante dos apoios sociais.
Comentários