FPF investe nove milhões de euros na nova temporada do futebol feminino

A verba vai ser investida pela FPF nas seleções e nas competições nacionais, numa altura em que o futebol feminino tem crescido a olhos vistos em todos os parâmetros.

O futebol feminino nacional vai beneficiar do maior investimento de sempre, próximo dos nove milhões de euros, por parte da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), na época que agora se inicia. O sector está em pleno crescimento desde o início do século e será dividido entre as seleções e as competições nacionais, segundo noticia esta terça-feira o jornal desportivo “A Bola”.

O investimento vai ser aplicado no futebol e futsal feminino e representa um aumento para mais do dobro do que foi feito na temporada passada, quando a FPF gastou quase 4,4 milhões de euros.

Do orçamento de quase nove milhões de euros, está estimado esta época um investimento de 6,5 milhões de euros nas seleções nacionais, a que se juntam mais de dois milhões nas competições femininas. Deste valor, metade é destinado aos clubes através de fundos de apoio à competição e apoio às infraestruturas, avança o mesmo jornal.

Será recompensada a utilização de jogadoras portuguesas, assim como a presença das mesmas na ficha de jogo, à semelhança do recurso a mulheres no desempenho de outras funções (dirigentes, médicas, fisioterapeutas, etc) e que tenham presença no banco.

Os regulamentos ditam que, na temporada 2024/25, todos os clubes que joguem na primeira liga devem ter um campo de relva natural. Para tal, vai existir um apoio de 200 mil euros esta época e de 300 mil na próxima.

Os apoios da FPF vão chegar à segunda divisão, com todos os 20 clubes a receberem equitativamente uma verba de 150 mil euros.

O crescimento do futebol feminino em Portugal ao longo dos anos é mais que visível, tanto no número de atletas, como no número de seleções e de competições.

O número de praticantes passou de 2.179 para 8.084 em dez anos. Se somarmos futsal e futebol de praia, o total ascende a 12.773. No ano 2000, existiam quatro seleções femininas, enquanto hoje são 12 e representam 44% das seleções nacionais. Por último, das 56 competições a organizar pela FPF, 23 são femininas (41% do total). Há onze anos, existiam apenas cinco provas (22%).

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira, 8 de agosto

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta segunda-feira.

Liga portuguesa. Receita com a venda de jogadores supera La Liga e Ligue 1

As duas ‘Big5’ são superadas pela Liga portuguesa que, no seu global e neste mercado de transferências, já rendeu 344,6 milhões de euros. Esta janela de mercado pode tornar-se a segunda mais rentável da história do futebol português.

Ponta Delgada é o mais recente membro da Aliança Global para a Integridade Desportiva (SIGA)

Organização conta com mais 200 apoiantes multi-industriais internacionais e pretende a implementação dos mais elevados padrões de integridade no desporto. “Acordo abrirá o caminho para o futuro do Desporto”, destacou o português Emanuel Macedo de Medeiros, CEO da SIGA, natural de Ponta Delgada.
Comentários