Governo garante que não precisa do PERES para ficar com défice abaixo de 2,5%

Rocha Andrade garante à TSF que não precisa do perdão fiscal (PERES) para cumprir as metas. “Pode, isso sim, dar uma folga maior”

Cristina Bernardo

O Secretário de Estado Fernando da Rocha Andrade disse à TSF que o “Programa Especial de Redução do Endividamento ao Estado (PERES) pode elevar a receita fiscal para cima, para além do défice de 2,4%”. Mas que não precisa desta medida para cumprir as metas.

Fernando da Rocha Andrade garante assim que o défice vai ser atingido “sem recurso a receita fiscal adicional”.

Na segunda-feira, o Governo enviou para Bruxelas o relatório de ação efetiva em que dá conta dos fatores que vão contribuir para um défice “seguramente abaixo de 2,5%”, nas palavras do Governo.

São os casos das cativações e dos PERES, o programa para regularizar dívidas com o Estado.

Em conferência de imprensa na sede nacional do PSD, Lisboa, Maria Luís Albuquerque, vice-presidente do partido, referiu-se aos resultados do Plano Especial de Redução do Endividamento ao Estado (PERES) – que permitiram uma receita este ano superior a 500 milhões de euros, o que equivale,  a três décimas do Produto Interno Bruto – o Plano B que o Governo sempre negou.

A ex-ministra das Finanças disse o défice abaixo dos 2,5% é resultado em primeiro lugar de uma “redução brutal do investimento público, nunca vista desde a década de 50 do século passado” e de “medidas extraordinárias e irrepetíveis, portanto um plano B e um plano C”.

Recomendadas

Eutanásia: Marcelo afirma que decidirá “rapidamente” e aponta para alturas do Natal

O Presidente da República garantiu hoje que decidirá rapidamente sobre a lei da despenalização da morte medicamente assistida, que deverá ser aprovada sexta-feira no parlamento, quando receber o documento, apontando a altura do Natal como data provável.

Lisboa aprova orçamento municipal para 2023 com abstenção de PS, IL e PAN

A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou a proposta de orçamento para 2023, com votos a favor de PSD, CDS-PP, MPT, PPM e Aliança, a abstenção de PS, PAN e IL e os votos contra dos restantes deputados.

Governo anuncia Fórum Social do Porto em maio

O secretário de Estado dos Assuntos Europeus anunciou a realização em maio de 2023 do Fórum Social do Porto, para fazer o seguimento da Cimeira Social realizada durante a presidência portuguesa da União Europeia.
Comentários