Governo quer mais operadores no transporte ferroviário de mercadorias

Pedro Nuno Santos avisou que a CP não está impedida de regressar a este segmento de atividade.

O Governo quer atrair novos operadores internacionais para o transporte ferroviário de mercadorias, anunciou hoje, dia 12 de dezembro, Pedro Nuno Santos, na 4ª edição do ciclo de palestras sobre ‘Mobilidade – Tendências, Desafios, Realidades’, uma iniciativa conjunta da ‘Transportes em Revista e da SRS Advogados, que decorreu em Lisboa.

“Estamos a fazer um investimento brutal na infraestrutura ferroviária para o transporte de mercadorias. É um investimento para ser levado a sério, mas o setor do transporte ferroviário de mercadorias não está a correr bem”, admitiu o ministro das Infraestruturas.

Visivelmente insatisfeito com o ‘status quo’ neste segmento de atividade, Pedro Nuno Santos criticou: “Sei que venderam a nossa CP Carga por um valor de venda irrelevante para as contas públicas, porque dava prejuízo ao Estado e aos contribuintes e agora já não dá. Pode-se ter resolvido esse problema, mas agora temos outros. Temos empresas a comprar camiões para exportar as suas mercadorias, há empresas que querem transportar as suas mercadorias pela ferrovia e não estão a conseguir, os preços dispararam”.

“O que eu espero é que os que estão a operar neste setor se ponham ao caminho, que invistam. Vamos fazer tudo para atrair novos operadores para o transporte ferroviário de mercadorias. Temos um problema com o transporte ferroviário de mercadorias, mas o Estado está atento e não está a dormir”, alertou o ministro das Infraestruturas.

Sobre esta matéria, Pedro Nuno Santos puxou ainda de outra carta na manga, inesperada: “a CP não está impedida de voltar a entrar no transporte de mercadorias”.

A CP Carga foi comprada pela Medway, da MSC – Mediterranean Shipping Company.

A Medway, juntamente com a Takargo, do Grupo Mota-Engil, são neste momento os únicos dois operadores em Portugal no transporte ferroviário de mercadorias.

Relacionadas

Contrato de serviço público da CP é para todas as linhas ferroviárias nacionais

Contrato aguarda visto prévio do Tribunal de Contas e tem uma duração de dez anos, renovável por mais cinco.

CP vai injetar oito comboios recuperados na linha de Sintra até ao final de 2020

A inauguração da oficina da EMEF em Guifões, Matosinhos, para recuperação e manutenção de comboios, está prevista para 15 de janeiro do próximo ano. Centro Tecnológico da Ferrovia virá depois.

Pedro Nuno Santos fala sobre o ‘tabu’ do TGV

O ministro das Infraestruturas quer uma ligação ferroviária em 1h15m entre Lisboa e o Porto e uma “velocidade boa” na ligação a Madrid. Sobre o aeroporto Humberto Delgado, diz que está perder milhões por dia.

Pedro Nuno Santos admite “batalha dura” no OE 2020

A apresentação pública do OE 2020 está prevista para a próxima segunda-feira.
Recomendadas

Spotify lança podcasts em vídeo a nível global

The Big Ones destaca semanalmente as inovações e movimentos estratégicos das empresas que lideram a nova economia.

“2023 será um ano de crescimento nos mercados externos”

O Grupo VAA tem como objetivo globalizar as suas duas marcas principais, Vista Alegre e Bordallo Pinheiro, e identificou sete mercados estratégicos onde está a apostar, explica Nuno Barra.

“Empresas arriscam sozinhas a entrada em mercados pela fraca dinamização e falta de apoio”

Mais de mil empresas participaram no Portugal Exportador no dia 23, orientado para a estratégia de internacionalização.
Comentários