Guia Michelin quer apostar na promoção da gastronomia de Portugal

“A ideia é valorizar cada vez a gastronomia das regiões da Península Ibérica e por isso queremos dar valor, também, uma dedicação um pouco mais especial a Portugal em geral”, referiu Mónica Rius.

O Guia Michelin Espanha e Portugal pretende dar maior destaque aos restaurantes e produtos portugueses, face à “evolução gastronómica” nacional na última década, adiantou à Lusa a diretora de comunicação da Michelin ibérica.

“A ideia é valorizar cada vez a gastronomia das regiões da Península Ibérica e por isso queremos dar valor, também, uma dedicação um pouco mais especial a Portugal em geral”, referiu Mónica Rius.

“Em geral, é difícil para os países mais pequenos ter uma certa proeminência”, comentou.

No entanto, destacou, “talvez há dez anos não fizesse muito sentido” promover a gastronomia portuguesa.

“Hoje em dia faz sentido porque Portugal e as autoridades portuguesas querem-no. Tem havido uma evolução gastronómica e as instituições portuguesas querem promover Portugal. Esta é a altura certa”, disse.

Sem adiantar em concreto que iniciativas poderão ser lançadas com este objetivo, Mónica Rius apontou como possibilidades a realização de experiências gastronómicas, quer numa determinada cidade ou região ou a propósito de um certo produto, vinho ou produtor, desenvolvendo uma “rota gastronómica” em torno desse tema.

Outra forma de promover o país passa pela realização da gala anual de apresentação do Guia Michelin ibérico — o que aconteceu em Lisboa em 2018, mas tem passado por várias cidades espanholas, como Girona, Santiago de Compostela, Marbelha, Madrid ou Bilbau.

A edição de 2022 do guia de Espanha e Portugal foi apresentada em dezembro passado em Valência e a empresa anunciou esta semana que o guia do próximo ano será apresentado em novembro em Toledo.

Com a gala, que recebe normalmente mais de 600 convidados, incluindo mais de uma centena de profissionais de comunicação, além de ter transmissão online, “coloca-se o foco na região por muito mais tempo, durante quase um ano”, referiu Mónica Rius.

Dentro da empresa, também houve uma alteração, com a incorporação na equipa da Michelin Experience — em que está integrado o guia – de um português, que era o responsável pelas relações institucionais em Portugal.

“Ele tem conhecimento das instituições portuguesas e a verdade é que acreditamos que, com este contacto e o facto de ele ser português, isso ajudará muito para podermos saber um pouco mais e para podermos melhorar e expandir essa colaboração com instituições portuguesas para valorizar a gastronomia”, acrescentou.

Na edição deste ano do guia ibérico, Portugal tem sete restaurantes com duas estrelas (cozinha excelente, vale a pena o desvio) e 26 com uma estrela Michelin (cozinha de grande nível, compensa parar). O país não conta com nenhum restaurante com a classificação máxima (cozinha excecional, justifica a viagem).

Recomendadas

MyCloma Fest XMAS Edition regressa este fim-semana ao Porto

Fundada por quatro jovens em 2020, a MyCloma é uma plataforma portuguesa de compra e venda de roupa em segunda mão, uma aposta num modelo de economia circular, que visa combater o desperdício têxtil enquanto que ajuda a prolongar o ciclo de utilização dos bens. 

“Vinhos no Pátio” regressa de 9 a 11 de dezembro ao Pátio da Galé

A Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa e as Comissões Vitivinícolas Regionais de Lisboa e da Península de Setúbal retomam o evento Vinhos no Pátio, no Pátio da Galé. Durante três dias poder-se-ão provar mais de 200 vinhos, contactar com propostas diversificadas de enoturismo, participar em workshops e masterclasses e fazer uma pausa para petiscar.

Desvendar o enigma Aurélia de Souza

Uma mulher livre e uma artista que cultivou a liberdade. Das suas convicções e visão do mundo, sem deixar de ser fruto do seu mundo e tempo. Aurélia de Souza de seu nome, é o cerne da exposição “Vida e Segredo” no Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto.
Comentários