Guterres mostra-se pessimista sobre a guerra na Ucrânia

“Os russos e os ucranianos acreditam que podem ganhar a guerra. Não vejo qualquer possibilidade, a curto prazo, de uma negociação séria”, disse numa entrevista à RFI o diplomata português, que reconheceu que o objetivo agora é procurar alternativas para atenuar as consequências de uma guerra que deverá durar muito tempo.

O Secretário-Geral da ONU António Guterres manifestou pessimismo sobre o final a curto prazo da guerra na Ucrânia e exortou a China a restaurar as condições para que os direitos humanos da comunidade muçulmana uigur sejam respeitados.

“Os russos e os ucranianos acreditam que podem ganhar a guerra. Não vejo qualquer possibilidade, a curto prazo, de uma negociação séria”, disse numa entrevista à RFI o diplomata português, que reconheceu que o objetivo agora é procurar alternativas para atenuar as consequências de uma guerra que deverá durar muito tempo.

Falou, por exemplo, na aceleração das exportações de cereais e fertilizantes ucranianos e russos porque há países que estão a passar por dificuldades, especialmente em África.

Em relação à vala comum com 440 sepulturas descobertas na sexta-feira na cidade ucraniana de Izium, na região de Kharkiv, Guterres disse esperar que o Tribunal Penal Internacional possa investigar para apurar responsabilidades.

Depois de ouvir o relatório tornado público pela alta comissária para os Direitos Humanos, Michele Bachelet, que foi muito crítica quanto às políticas do governo chinês na região de Xinjiang e do grupo étnico uigur, Guterres apelou a Pequim para “restabelecer as condições” para que este grupo étnico “possa ter” os seus direitos humanos “respeitados”.

“Ainda mais importante é que esta comunidade possa sentir que a sua identidade cultural e religiosa é respeitada e que tem condições para participar na sociedade [chinesa] como um todo. Espero que esta questão, que penso ser essencial, seja resolvida”, disse Guterres.

 

Recomendadas

Ucrânia: Biden diz que aliados da NATO não serão “intimidados” por Putin

O Presidente norte-americano, Joe Biden, afirmou hoje que os Estados Unidos e seus aliados não se deixarão “intimidar” pelo seu homólogo russo Vladimir Putin, e prometeu que a NATO defenderá “cada centímetro” do seu território.

PremiumRússia anexa regiões da Ucrânia e lança a confusão nos Balcãs Ocidentais

A guerra no leste da Ucrânia passa a ser a guerra no oeste da Rússia. Entretanto, o Kremlin parece apostado em instalar o caos na União Europeia por ‘interposto país’: a Sérvia. A fronteira com o Kosovo está sob pressão.

Ucrânia: Putin assina tratados de anexação de quatro regiões ucranianas

Os líderes separatistas dos quatro territórios ucranianos, Denis Pushilin (Donetsk), Leonid Pasechnik (Lugansk), Vladimir Saldo (Kherson) e Yevgeny Balitsky (Zaporijia), participaram na cerimónia de assinatura, que teve lugar no Salão de S. Jorge do Grande Palácio do Kremlin (sede da Presidência russa).
Comentários