Guterres revela “intensos contactos” para desbloquear exportação de alimentos da Ucrânia (com áudio)

“Tem havido intensos contactos, quer com os ucranianos, quer com os russos, quer com os turcos e, por outro lado, com os Estados Unidos e com a União Europeia, no sentido de facilitar a exportação dos produtos alimentares ucranianos”, disse o secretário-geral da ONU.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, manifestou-se este domingo muito preocupado com a situação na Ucrânia e adiantou que “tem havido intensos contactos” para desbloquear a exportação de produtos alimentares daquele país.

Guterres falava aos jornalistas após uma audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em Belém.

“Estamos muito preocupados com a situação na Ucrânia e, por outro lado, estamos a fazer um grande esforço no sentido de tentar resolver ou ajudar a resolver o problema da segurança alimentar, que é absolutamente dramático”, afirmou António Gutrres.

E “é por isso que tem havido intensos contactos, quer com os ucranianos, quer com os russos, quer com os turcos e, por outro lado, com os Estados Unidos e com a União Europeia, no sentido de facilitar a exportação dos produtos alimentares ucranianos sem perigo e de uma forma segura no mar Negro e ao mesmo tempo as exportações nos cereais e fertilizantes russos, que são indispensáveis”, rematou.

O encontro entre António Guterres e Marcelo Rebelo de Sousa durou cerca de 45 minutos.

Recomendadas

Itália: Extrema-direita promete respeitar UE e NATO

A coligação da direita italiana aprovou o seu programa eleitoral para as legislativas antecipadas, prometendo respeitar a NATO e uma União Europeia “menos burocrática”.

Atenção, emigrantes: principal porta de acesso entre Portugal e França está cortada devido aos incêndios

O sudoeste francês continua a ser devastado pelas chamas, que obrigam a cortes nas autoestradas. O fogo já queimou quase sete mil hectares e obrigou a evacuar mais de 10 mil pessoas.

Brasil: Lula da Silva promete reforma tributária

Se for novamente eleito em outubro, Lula da Silva apoiará um projeto de reforma tributária atualmente no Senado que unificaria os impostos federais sobre o consumo num imposto único.
Comentários