Hollande nomeia Cazeneuve para suceder a Valls como primeiro-ministro francês

Cazeneuve era até agora ministro do Interior no governo socialista. Hollande anunciou na semana passada que não vai tentar um segundo mandato.

REUTERS/Vincent Kessler

O presidente francês François Hollande nomeou hoje Bernard Cazeneuve para suceder a Manuel Valls como primeiro-ministro, após Valls ter anunciado ontem a candidatura às eleições presidênciais de 2017.

Hollande fez o anúncio através do Twitter:

Bernard Cazaneuve deverá tomar posse ainda hoje, com o anúncio sobre o elenco executivo esperado nas próximas horas.

Ontem, Valls salientou que a sua candidatura presidencial  é de “reconciliação” e que quer juntar a esquerda francesa.

As primárias da esquerda  vão realizar-se entre 22 e 29 de janeiro de 2017.

Apesar de Manuel Valls ser o candidato preferido, à esquerda, nas sondagens, aparece em terceiro lugar nas intenções de votos para as eleições de Abril, depois da candidata de extrema-direita Marine Le Pen e do candidato de direita François Fillon,

Na liderança do Ministério do Interior desde 2015, Cazeneuve teve a tarefa de reforçar as medidas de segurança após ataques terroristas que fizeram mais de 200 vítimas. O político, com 53 anos, foi anteriormente Ministro dos Assuntos Europeus e do Orçamento entre 2012 e 2014.

Recomendadas

Parlamento Europeu vai pedir suspensão das negociações de adesão com a Sérvia

Como seria de esperar, o entendimento entre a Sérvia e a Rússia, concluído em Nova Iorque, vai acabar por bloquear a possibilidade de entrada do país balcânico no bloco europeu. O Parlamento Europeu vai dar o mote.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Furacão Ian. Autoridades dos EUA esperam consequências “catastróficas”

O Estado norte-americano da Florida prepara-se hoje para a chegada do furacão Ian, que devastou o oeste de Cuba e que está “a intensificar-se rapidamente”, podendo ter consequências “catastróficas”, segundo os serviços meteorológicos locais.
Comentários