Ibersol passa de prejuízos a lucros de 3,7 milhões no semestre (com áudio)

O volume de negócios até junho deste ano superou, inclusivamente, as vendas de 221,3 milhões de euros do primeiro semestre de 2019, período que antecedeu a pandemia.

A Ibersol registou, nos primeiros seis meses deste ano, lucros de 3,7 milhões de euros, recuperando face ao período homólogo, em que tinha registado prejuízos de 22,9 milhões de euros, segundo relatório divulgado esta terça-feira pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com a mesma nota, a empresa considera que, “apesar do exigente contexto vivido no semestre, o desempenho comparável com igual período de 2021, marcado pelo período de confinamento e restrições à mobilidade, traduziu-se num crescimento de 79,5% do volume de negócios consolidado nos primeiros seis meses de 2022, totalizando 242,1 milhões de euros que compara com 134,9 milhões de euros no período homólogo”.

O volume de negócios até junho deste ano superou, inclusivamente, as vendas de 221,3 milhões de euros do primeiro semestre de 2019, período que antecedeu a pandemia.

A Ibersol alertou que, tendo em conta alterações nas rendas dos aeroportos em Espanha e o seu efeito contabilístico, resolveu comparar a maioria dos valores referentes aos resultados do primeiro semestre com os primeiros seis meses de 2019.

Assim, o “EBITDA no primeiro semestre de 2022 ascendeu a 37,6 milhões de euros, representando um aumento de 4,9% face a igual período de 2019”. Nos seis meses de 2021, o valor corrigido de EBITDA foi de 22,2 milhões de euros.

Por sua vez, “os custos com pessoal foram superiores em 4,4% face aos registados no período homólogo de 2019, tendo o peso desta rubrica passado a representar 30,8% do volume de negócios”, adiantou.

O grupo detinha, no final do primeiro semestre, um total de 621 unidades de restauração, um número igual ao que detinha no final de 2021.

Segundo a Ibersol, “em Portugal, depois de um início de ano com uma parte considerável da população confinada, pelo efeito do aumento do número de infetados com a nova variante ómicron, o volume de negócios – excecionando o mês de março – superou o verificado no período pré-pandemia”, referiu a Ibersol.

Por outro lado, “em Espanha, verificou-se uma redução das perdas para níveis inferiores a 5% face a igual período de 2019, por efeito da evolução positiva dos tráfegos nos aeroportos, especialmente nas localizações mais dependentes do turismo”, salientou.

Em Angola, as vendas dos restaurantes traduzem “as variações em moeda local, – que não contemplam os ganhos decorrentes da valorização do Kwanza e continuam a ser os menos penalizados pelo efeito da pandemia”.

 

Recomendadas

SAD do Sp. Braga com resultado positivo de 3,1 milhões de euros na época passada

Relativamente ao exercício financeiro que terminou a 30 de junho deste ano, que ainda não refletem a venda do passe futebolístico do defesa central David Carmo (transferência fechada para o FC Porto na ordem dos 20 milhões de euros), a SAD dos bracarenses destaca que este foi um período “pautado por múltiplos constrangimentos associados à pandemia”.

Sonaecom rasga acordo com Isabel dos Santos

“À Sonae passa a ser imputada uma participação na NOS de cerca de 36,8% do capital social e dos direitos de voto nessa sociedade”, detalha a empresa liderada por Cláudia Azevedo.

Toyota Caetano Portugal com lucros de 7,3 milhões no semestre

Em comunicado à CMVM, a Toyota Caetano Portugal diz que os resultados líquidos consolidados ascenderam a 7,3 milhões de euros, o que compara com 11,7 milhões em dezembro de 2021 e com 2,98 milhões em junho de 2021.
Comentários