PremiumImpedimento de registos na Zona Franca custou 170 empresas

Parlamento aprovou autorização para o licenciamento de novas empresas, que está impedido de ser feito desde janeiro.

A Assembleia da República deverá aprovar, esta sexta-feira, o orçamento do Estado para 2022, incluindo a prorrogação da emissão de licenças na Zona Franca da Madeira até ao final do próximo ano, prolongando o regime de benefícios fiscais que vigorou até ao final de 2021.

Só que, o semestre de interregno que promoveram o impedimento do registo de novas empresas no Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM) terá motivado a perda de 170 empresas na zona franca, entre sociedades que saíram e as que acabaram por escolher centros alternativos para investimento.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Boris Johnson rejeita apelos de ministros para que se demita

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, recusou hoje apelos de alguns dos seus ministros a que se demita, de acordo com os meios de comunicação social britânicos.

EUA: Taxas de juros mais restritivas podem ser necessárias para conter a inflação

No entanto, consideraram que tais medidas são necessárias para desacelerar os aumentos de preços com vista à meta anual de 2%.

Finanças reembolsam 2.677 milhões de euros de IRS

Até 30 de junho, foram entregues cerca de 5,6 milhões de declarações de IRS.
Comentários