Indonésia/Tsunami: Governo português sem conhecimento de vítimas até ao momento

O Governo português desconhece, para já, qualquer incidente com cidadãos portugueses na Indonésia, na sequência do tsunami de sábado, mas continuará a acompanhar a situação, disse este domingo à agência Lusa o secretário de Estado das Comunidades.

As primeiras informações recolhidas não apontaram para a existência de vítimas portuguesas, mas segundo o governante, é ainda “muito prematuro poder falar de forma definitiva”.

As autoridades portuguesas estão em contacto com Jacarta e com a União Europeia, tendo recebido as primeiras informações a meio da noite.

“Hoje de manhã contactámos também a Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), que também não tinha recebido qualquer pedido de ajuda de cidadãos portugueses”, avançou José Luís Carneiro, ao final da manhã.

O Governo português vai continuar a acompanhar a situação, referiu.

Na secção consular da embaixada portuguesa em Jacarta estão inscritos cerca de 200 portugueses, todos na capital ou nas imediações. Não há registo de portugueses nas zonas acidentadas.

“No entanto, as pessoas viajam. Os que estão inscritos normalmente são uma pequena parte”, sublinhou.

A União Europeia (UE) manifestou hoje condolências à Indonésia e ofereceu apoio nas tarefas de resgate, depois do tsunami de sábado, que causou pelo menos 222 mortos, 843 feridos e 28 desaparecidos.

Relacionadas

Novo balanço aponta para 168 mortos, 745 feridos e 30 desaparecidos após tsunami na Indonésia

As autoridades indonésias subiram de 62 para 168 o número mortos num tsunami que atingiu a Indonésia no sábado e que causou ainda pelo menos 745 feridos e 30 desaparecidos, de acordo Agência Nacional de Gestão de Desastres.
Recomendadas

Covid-19: Pandemia provocou mais 300 mil mortes na UE do que as oficiais, diz OCDE

“No final de outubro de 2022, mais de 1,1 milhões de mortes de covid-19 foram reportadas em todos os 27 países da UE, mas os dados sobre o excesso de mortalidade sugerem que se trata de uma subestimativa e que mais 300 mil pessoas morreram devido ao efeito direto ou indireto da pandemia”, refere o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comissão Europeia (CE).

Covid-19: Problemas de saúde mental aumentaram na Europa, sobretudo nos jovens

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) explica no relatório comparativo da situação de saúde na Europa que, enquanto em 2019 a percentagem de jovens entre 15 e 24 anos com sintomas de depressão era de 6%, contra 7% nos adultos, com o coronavírus os números aumentaram em todos os países para os quais existem dados.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários