Investigadores da UMinho criam podcast sobre os oceanos

O projeto está disponível ao público nas plataformas Spotify e Google Podcasts e é cofinanciado pelo Programa EEA Grants, de Islândia, Liechtenstein e Noruega.

Uma equipa do Centro de Biologia Molecular e Ambiental da Universidade do Minho lançou o podcast “Uma Gota no Oceano”, para os cidadãos conhecerem melhor os oceanos e perceberem como os impactam. O projeto está disponível ao público nas plataformas Spotify e Google Podcasts e é cofinanciado pelo Programa EEA Grants, de Islândia, Liechtenstein e Noruega.

Cada episódio quinzenal tem um convidado e um tema diferente. As primeiras sessões focaram a prática de surf e mergulho, os tesouros das florestas marinhas ou o ativismo e arte em prol do oceano. No presente episódio, a bióloga brasileira Sofia Aranha reflete se os tubarões são uma ameaça ou, pelo contrário, se estão cada mais ameaçados.

Sabia que, em média, 70% dos peixes capturados por arrasto são devolvidos ao mar? Ou que as algas produzem 55% do oxigénio do planeta, além de purificarem as águas e de terem aplicações em culinária, medicamentos, moldes dentários e revestimentos têxteis? E, afinal, quem deu o nome aos oceanos? Estes são alguns tópicos dos 24 episódios previstos, que são moderados por Fábio Faria e têm convidados como o músico e ativista Barba Azul, o investigador João Franco, o instrutor de mergulho e náutica de recreio Ricardo Santos, a bióloga Ana Margarida Faria, o formador de surf Rui Silva ou o professor Leonel Pereira, entre outros.

“É difícil proteger algo que desconhecemos ou do qual sabemos pouco, por isso pretendemos neste espaço informal empoderar as pessoas sobre o precioso e frágil oceano, partilhar informação baseada na ciência e fomentar comportamentos responsáveis pelo ambiente”, explica Fernanda Cássio, diretora do CBMA e coordenadora do projeto, que é pensado em especial para os jovens, mais habituados aos podcasts. “Cada um de nós tem o seu papel, não somos apenas uma gota, mas mais uma gota para o futuro saudável do oceano”, acrescenta o investigador Pedro Gomes, que tal como Fernanda Cássio é também professor no Departamento de Biologia da Escola de Ciências da UMinho.

O projeto visa assim afirmar a literacia do oceano, a comunicação de ciência e aproximar os agentes marinhos dos cidadãos, “que assim apanham a onda e temperam com sal o corpo e a mente”. “Uma Gota no Oceano” tem recebido seguidores e reações positivas de todo o mundo, inclusive educadores que aqui podem encontrar “momentos formativos úteis” para a sua prática profissional ou promotores que procuram novas abordagens sobre o corpo de água que circunda os continentes e que cobre a maior parte da superfície da Terra. O site oficial é umagotanooceano.pt.

O Centro de Biologia Molecular e Ambiental nasceu em 2008 e tem laboratórios na Escola de Ciências da UMinho e no Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade, no campus de Gualtar, em Braga. Considerado Muito Bom na última avaliação da tutela, promove a excelência nas ciências biológicas a nível da investigação, da formação pós-graduada e da interação com a sociedade. Tem uma centena de elementos, sendo 54 doutorados e os restantes inseridos em projetos de mestrado e doutoramento. Nos últimos cinco anos angariou mais de 50 projetos de I&D, avaliados em oito milhões de euros.

Recomendadas

Natixis lança programa de estágios profissionais com 200 vagas

A campanha de recrutamento será acompanhada da clássica iniciativa Natixis Purple Tour, que tem paragem marcada nas Universidades do Minho, UTAD, Portucalense e U.Porto, entre os dias 25 e 31 de maio.

European Money Quiz 2022 deu vitória aos alunos noruegueses, revela APB

Em comunicado a APB diz que a Noruega, Itália e Irlanda foram os grandes vencedores da edição de 2022 do European  Money Quiz (EMQ), ocupando os três primeiros lugares do pódio. Seguiram-se a Sérvia e Malta que ficaram no 4º e 5º lugar, respetivamente.

Fundação Santander lança 500 bolsas de estudo em língua portuguesa para refugiados ucranianos

A iniciativa é lançada através da Universidade Aberta, única instituição online em Portugal, e o público-alvo são ucranianos adultos com ou sem formação académica formal que queiram adquirir, desenvolver ou consolidar competências de comunicação em português.
Comentários